Nova Eletrobrás: empresas serão mantidas, afirma presidente do grupo durante o 8° ENU

04 setembro 12:06 2008

Compromisso é inserir empresas em um novo patamar, com justiça e isonomia de tratamento, disse Muniz Lopes


O 8º Encontro Nacional dos Urbanitários realizado na cidade de Belém, no Pará, contou com a participação do presidente da Eletrobrás, José Antonio Muniz Lopes, que fez uma longa exposição sobre o tema: ‘A Nova Eletrobrás, Sistema isolado e a reorganização das distribuidoras federais de energia’.  Na oportunidade ele reafirmou o compromisso do Ministério de Minas e Energia e da direção da Eletrobrás de inserir estas empresas em um novo patamar, com justiça e isonomia de tratamento. Muniz chegou a afirmar que esta reestruturação é um fato histórico.  ‘Somente um governo popular como o do presidente Lula poderia ter tomado uma atitude dessa magnitude’. 


Em sua palestra o presidente da Eletrobrás falou sobre a criação da Nova Eletrobrás em relação às mudanças que acontecerão no futuro, com a nova nomenclatura, o crachá único para os trabalhadores do Sistema Eletrobrás. Ou seja, neste novo contexto vão acontecer mudanças conjunturais, pois agora os trabalhadores vão fazer parte de um sistema e não mais do grupo como acontecia até hoje. 


Em sua esclarecedora palestra ele garantiu a continuidade de existência de todas as empresas da holding. Em um determinado momento ele fez a seguinte analogia: ‘A Holding pode ser comparada à divisão do corpo humano, sendo a cabeça a Eletrobrás, aquela que comanda todos os atos e as demais empresas são os membros, ou seja, um depende do outro para funcionar perfeitamente. Eu garanto que todas as empresas serão mantidas nesse novo formato, pois, elas são intocáveis’, disse Muniz. 


O presidente Muniz foi enfático ao afirmar que a construção desta Nova Eletrobrás é viável porque os trabalhadores estão qualificados para esse grande salto. Por reconhecer este esforço ele confirmou que já está avançado o processo de formatação do novo PCS, que será apresentado em Brasília no próximo dia 09 com aplicação para o ano de 2009, que terá por objetivo corrigir todas as distorções existentes, bem como criar um ambiente que proporcione novas perspectivas profissionais para o quadro funcional.


Na segunda parte da sua apresentação os delegados puderam fazer questionamentos e perguntas para dirimir todas as dúvidas sobre o tema. Mais uma vez foi cobrada a participação dos trabalhadores no processo de reestruturação da Holding, ficando garantido pelo presidente Muniz que periodicamente serão repassadas informações sobre o andamento do processo de criação da Nova Eletrobrás.


O CNE acredita que a apresentação trouxe esclarecimentos fundamentais para acabar com boatos infundados de que a Nova Eletrobrás significaria retirada de direitos e o fim das empresas, segundo o presidente isso não acontecerá. Todavia, colocamos a importância de serem realizadas novas reuniões com o CNE para debater as mudanças.


O presidente José Antônio reafirmou o compromisso de criar uma empresa referência como a Petrobrás, capaz de intensificar sua atuação não somente no país, como também no exterior. Para Muniz todas as condições são favoráveis, principalmente porque existe vontade política do Presidente Lula para isso. 


O CNE considera a Nova Eletrobrás uma alternativa estratégica do governo para fortalecer o Sistema Eletrobrás para atuar de forma integrada e blindar o setor para qualquer tipo de ameaça futura, por isso defende sua criação, mesmo entendendo que toda discussão nesse sentido deva ser feita com amplo debate com os trabalhadores do grupo e da sociedade. 


Quanto ao sistema isolado já há estudos para sua interligação ao sistema nacional até 2012, salientou o presidente Muniz.

  Categorias: