Elektro: pelo fim das demissões arbitrárias

15 setembro 16:21 2008

Sinergia CUT exige que empresa volte atrás e cumpra Acordo Coletivo. Trabalhadores participam de abaixo-assinado


Desde a semana passada, o Sinergia CUT vem tentando agendar com a direção da Elektro uma reunião urgente para reivindicar que a distribuidora volte atrás nas demissões em massa e arbitrárias que fez em várias localidades, antes mesmo da assinatura do novo Acordo Coletivo. Para o Sindicato, ‘é inadmissível que a Elektro descumpra o ACT e demita trabalhadores sem nenhuma justificativa e sem informar antecipadamente ao Sinergia CUT’.


Vale lembrar que demissões aconteceram inclusive no último dia 02, ao mesmo tempo em que acontecia a cerimônia de assinatura do novo Acordo, causando indignação aos dirigentes sindicais e aos trabalhadores, que participaram de protestos contra a intransigência da Elektro em várias localidades.
  
Sempre na defesa de emprego digno e melhores condições de trabalho, o Sinergia CUT não aceita a justificativa da empresa de que está demitindo pela cláusula de rotatividade. ‘Depois da privatização é fato que as empresas criam dificuldades em avançar ou até mesmo em manter a cláusula de política de emprego, que impede demissões arbitrárias. Mas não dá para se esconder atrás da rotatividade para justificar essa prática ilegal, promovendo um clima de terrorismo, fruto de uma gestão ineficiente que ainda utiliza de ferramentas ineficazes como a avaliação de desempenho, questionada até mesmo pelo Ministério Público’, denuncia o Sindicato.


Além da reunião para exigir a revisão das demissões, o Sinergia CUT está colhendo assinaturas em um abaixo-assinado que está percorrendo todos os locais de trabalho e que deve ser entregue à direção da Elektro para repudiar a arbitrariedade e pressionar o fim de demissões imotivadas. O Sindicato também está dando total apoio, inclusive jurídico, aos trabalhadores demitidos.

  Categorias: