Greve mobiliza mais de 12 mil bancários

09 outubro 17:05 2008

Na manhã desta quarta-feira, 8 de outubro, primeiro dia de greve dos bancários. Estima-se que 10.500 trabalhadores participem das paralisações, que estão mais concentradas no centro da cidade e na região da Paulista. No Bradesco Alphaville, onde funciona a área de sistemas do banco, a paralisação se estendeu até as 10h, evolvendo mais 1.500 bancários.


Nesta quarta, dia 8, às 17h, os trabalhadores realizam assembléia na Quadra dos Bancários (Rua Tabatingüera, 192, Sé) para avaliar a paralisação e definir a organização para a greve de amanhã, dia 9.


‘Os bancários estão promovendo uma paralisação forte, parando espontaneamente e ampliando a greve para outros locais. Esperamos que os banqueiros levem em consideração a insatisfação da categoria e reabram as negociações. Enquanto não houver proposta digna aos trabalhadores, a greve continua’, disse Luiz Cláudio Marcolino, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.


A decisão de greve por tempo indeterminado foi tomada na noite desta terça-feira, 7 de outubro, em assembléia que reuniu cerca de 1.500 bancários na quadra da entidade. A categoria quer aumento real de 5% (além da inflação de 7,15%), valorização dos pisos, auxílio-creche de R$ 415, vale-refeição de R$ 17,50 por dia, além de PLR composta de três salários mais valor fixo de R$ 3.500. Se os bancários aceitassem a proposta rebaixada da federação dos bancos (Fenaban), as perdas poderiam chegar a R$ 1.800 na PLR deste ano.


Os bancários rejeitaram, no dia 29 de setembro, proposta que já havia sido rechaçada pelo Comando Nacional dos Bancários na mesa de negociação com os banqueiros que previa reajuste de 7,5% e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) menor do que a paga no ano passado. Até agora não há negociação marcada.

  Categorias: