Sindicatos em plena mobilização pelo segundo turno na capital paulista e em todo o estado de SP

09 outubro 18:07 2008

As entidades sindicais filiadas à CUT São Paulo já estão em plena mobilização para o segundo turno das eleições da capital, de outras importantes cidades da região metropolitana, como Guarulhos, São Bernardo, Santo André e Mauá, e várias outras em que candidatos comprometidos com a ‘Plataforma da Classe Trabalhadora para as Eleições 2008’ disputam segundo turno, como São José do Rio Preto e Bauru.


Já na próxima sexta, dia 10, as manifestações na capital da Jornada Mundial pelo Trabalho Decente reunirão militantes e dirigentes da CUT e de outras centrais em defesa de bandeiras como redução da jornada sem redução de salários, pela ratificação das convenções 151 e 158 da OIT e contra o trabalho escravo e infantil – reivindicações identificadas com um projeto democrático e popular que passa longe, muito longe, das práticas e da plataforma política do ex-PFL, do PSDB e seu candidato no segundo turno na capital.


Todo o material das manifestações da Jornada Mundial pelo Trabalho Decente, que em São Paulo acontecem a partir das 10h na Praça Ramos, região central, já estão preparados. Em outros países também houve mobilizações da Jornada Mundial durante esta semana.
Os panfletos e boletins especialmente voltados ao segundo turno da capital estão em fase de conclusão e passam a ser distribuídos na madrugada de segunda-feira, dia 13, e ao longo dos dez dias que nos separam do dia de votação de segundo turno, em praças, estações de trem, metrô e terminais de ônibus.


Plenária realizada nesta quarta
Segundo acertado na manhã desta quarta, dia 8 de outubro, em Plenária realizada na sede da CUT, os sindicatos vão destacar grupos de dirigentes e militantes para organizarem e realizarem as panfletagens, bandeiraços e o corpo-a-corpo para garantir a vitória de Marta Suplicy em São Paulo. Marta, dos dois candidatos na capital, foi a única a subscrever e se comprometer com a ‘Plataforma da Classe Trabalhadora para as Eleições 2008’, conjunto de propostas com as quais a CUT percorreu o país e através do qual orientou a votação de suas bases.


‘Temos de seguir uma agenda de atividades de campanha própria, essencialmente sindical, com a presença de lideranças e militantes que vão trabalhar por convicção. Essa é nossa diferença’, afirmou o presidente nacional da CUT, Artur Henrique, durante a Plenária.


Para Edílson de Paula, presidente da CUT-SP, ‘eleição disputada serve para nos animar, para nos entusiasmar. E a CUT, como sempre, é a entidade que é capaz de mobilizar verdadeiramente’.Vários representantes de sindicatos presentes à reunião já apontaram os calendários de suas atividades e garantiram que equipes de dirigentes irão se dedicar à tarefa. (Isaías Dalle)    

  Categorias: