Grande ato em março de 2009

21 outubro 15:42 2008

Mais de 120 delegados de base de vinte estados participaram do Encontro Nacional dos Aposentados e Pensionistas, entre os dias 14 e 16. A categoria discutiu questões fundamentais e definiu estratégias para organizar a luta em torno da defesa de direitos. Uma comissão será criada e quer buscar audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O objetivo é levar ao presidente todas as reivindicações do setor. A categoria quer manifestar sua insatisfação com os constantes ataques e reclama por ser vítima freqüente de fraudes, como a que envolve empréstimos consignados. Promovido pela Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal), o encontro definiu também a organização de um grande ato para março de 2009. Condsef, Sindicatos Gerais e CUT terão a missão de reunir em Brasília mais de 10 mil servidores em uma caravana para exigir ‘Paridade Já’.


A luta dos aposentados e pensionistas é grande e exige forte mobilização nos estados. Envolve ainda pressão constante e trabalho parlamentar intenso. Para viabilizar e fortalecer a luta foi discutida a necessidade de formar a unidade da categoria reunindo servidores das três esferas: Federal, Estadual e Municipal. Para isso, os servidores pretendem organizar encontros regionais a partir de janeiro do ano que vem. Tudo para mobilizar e reunir forças para enfrentar o governo e conquistar reivindicações.
 
Resgate histórico – Entre os projetos, está a realização de estudo que vai levantar as perdas salariais sofridas por aposentados e pensionistas do setor público desde 1995. A intenção lutar também para recuperar perdas salariais históricas.
 
Aposentados e pensionistas querem ainda o apoio do Congresso Nacional para revogar o pagamento diferenciado criado com a Emenda Constitucional 20/98. A categoria defende que ao se aposentar, os servidores não mudam sua condição de indivíduos e acrescentam ainda maior atenção à saúde, por exemplo. Desse modo, para os servidores é inconcebível e perverso que o governo reduza seus proventos mensais.


A Condsef alerta que esta é uma luta difícil, mas não impossível. Força e mobilização serão determinantes para a recuperação de direitos e avanços na pauta de reivindicações.

  Categorias: