Furnas realiza análise ambiental para modernização de três usinas

22 outubro 10:39 2008

Objetivo da estatal com estudo para UHEs Furnas, Mascarenhas de Moraes e Luiz Carlos Barreto é obter financiamento junto ao BID


Para obter financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento, Furnas encomendou relatório de análise ambiental para a modernização (repotenciação) das hidrelétricas Mascarenhas de Moraes (476 MW), Furnas (1.216 MW) e Luiz Carlos Barreto de Carvalho (1.050 MW), todas no Rio Grande, em Minas Gerais. O trabalho, realizado pela empresa de consultoria AmbioConsult, traça um panorama das atividades no âmbito da Segurança Meio Ambiente e Saúde.


A modernização, segundo Furnas, é necessária nessas usinas porque os projetos hidrelétricos consideram uma vida útil de 50 anos  para as usinas, sendo que equipamentos e sistemas eletromecânicos apresentam problemas operacionais e de manutenção a partir de 30 anos de operação, em média.


‘Com o passar do tempo e o desenvolvimento tecnológico do setor, particularmente no tocante aos seus equipamentos principais e sistemas auxiliares, as soluções adotadas inicialmente tornam-se desatualizadas em relação ao estado da arte’, explica o estudo.


Em linhas gerais, as ações envolvem a regeneração de turbinas e geradores; modernização de transformador elevador e sistemas de resfriamento; substituição de painéis analógicos por digitais, de sistemas mecânicos por hidráulicos, e de cabos de força e controle. Há ainda previsão de automação de equipamentos e implantação de novos sistemas de monitoramento e controle remoto, entre outras ações.


Furnas – No caso da UHE Furnas, o início da operação comercial se deu em setembro de 1963, estando com seis unidades em produção plena em julho de 1965 – a usina possui 43 anos de operação. Em 1974, entraram em operação comercial duas unidades geradoras adicionais. O empreendimento possui oito unidades geradoras, com turbina Francis, de eixo vertical, e potência unitária de 152 MW cada. O contrato para esse empreendimento prevê a modernização das unidades geradoras 1 a 6 e parcial das unidades 7 e 8, além da subestação. A previsão é que todos os serviços estejam concluídos em julho de 2010.


Mascarenhas de Moraes – A usina teve operação comercial iniciada em 1957, ainda sob gestão da CPFL. A usina possui 10 unidades geradoras, sendo que as unidades 1 e 2 possuem, cada uma, 40 MW de potência nominal. As unidades 3 e 4 possuem, cada uma, 48 MW, enquanto as UGs 5 a 8 têm capacidade de 49 MW cada. Já as UGs 9 e 10 possuem potência nominal de 52 MW cada. A usina já teve a primeira fase da modernização concluída, que incluiu todas as unidades geradoras. A segunda fase prevê a modernização da subestação.


Luiz Carlos Barreto de Carvalho – A UHE anteriormente denominada Estreito teve início da operação comercial da primeira de seis unidades geradoras em março de 1969. O empreendimento possui turbinas Francis, cada uma com 175 MW de potência nominal. O contrato prevê modernização total das unidades geradoras e parcial da subestação. A conclusão está prevista para agosto de 2010. (Fábio Couto)

  Categorias: