Emprego formal tem crescimento recorde de 6,8% no país em 2007

07 novembro 11:38 2008

Brasília – O Brasil apresentou, em 2007, um crescimento recorde de 6,98% no número de empregados com vínculo formal no país.


Pela primeira vez, desde 1985, houve um aumento anual no número de postos de trabalho superior a dois milhões, totalizando quase 38 milhões de empregos formais.


Os dados fazem parte da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), referente ao ano de 2007 e foram divulgados nesta quinta-feira (6) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi.


‘A RAIS é um registro anual do dado real que mostra um crescimento em todas as regiões do país, é uma radiografia do Brasil que está dando certo’, destaca Lupi.


Do total de 2,452 milhões de empregos formais criados, 2,074 milhões foram com carteira assinada. O número representa um crescimento de 7,49% em relação aos postos de trabalho existentes em 2006 e também é recorde de geração de empregos da RAIS, desde sua criação em 1985, para esse tipo de contratação. Os estatutários corresponderam a 378, 3 mil dos novos empregos formais criados.


Todos os setores da economia tiveram expansão no emprego, mas a construção civil foi a atividade que apresentou o maior crescimento, com aumento em 16,11% no número de postos de trabalho, o que significa 224, 5 mil empregados a mais do que em 2006. O setor de serviços foi o que mais empregou no país, somando 705,9 mil trabalhadores contratados.


Outro dado positivo divulgado foi é que o brasileiro passou a ganhar mais. Houve um aumento de 0,68% no rendimento médio real dos trabalhadores formais. O Distrito Federal, apesar de apresentar um crescimento negativo, é o melhor salário do país.
IBGE: indústria cresce em sete dos 14 locais pesquisados  (CUT Nacional) 06/11/08      
Escrito por Agência Brasil    


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), informou que de agosto para setembro, a produção da indústria brasileira cresceu 1,7%, com variação positiva em sete dos 14 locais pesquisados. O Estado que mais elevou sua produção foi o Amazonas, com crescimento de 6,1% no período. No Estado do Norte do País, a expansão foi de 13,7%, na comparação com setembro de 2007, bem acima do índice de agosto (-3,0%).


Com isso, a produção acumulada nos nove primeiros meses do ano ficou em 7,0% no Amazonas. O indicador acumulado nos últimos doze meses também mostra ganho de ritmo, ao passar de 7,3% em agosto para 8,3% em setembro. Os outros Estados que ficaram com taxas acima do índice nacional foram o Rio de Janeiro (4,1%) e Rio Grande do Sul (3,6%).


Paraná (1,4%), São Paulo (1,0%), região Nordeste (0,4%) e Santa Catarina (0,2) também registraram altas no período, mas abaixo dos 1,7% nacional. As maiores quedas de produção foram encontradas no Espírito Santo (-3,4%), Pará (-2,7%) e Ceará (-2,7%). Outros Estados que registraram recuos na produção foram Goiás (-1,9%), Pernambuco (-1,2%), Bahia (-0,6%) e Minas Gerais (-0,4%).  (Agência Brasil)

  Categorias: