Carga em novembro cresce 1,8%, segundo ONS

26 novembro 17:13 2008

Dados preliminares apontam para redução de 3,3% na carga em relação a outubro


O Operador Nacional do Sistema Elétrico divulgou nesta terça-feira, 25 de novembro, os valores preliminares da carga no Sistema Interligado Nacional para novembro. Segundo o ONS, os dados preliminares indicam crescimento de 1,8% em relação ao mesmo mês em 2007, com 52.276 MWmed. Em relação a outubro, a carga teve redução de 3,3%. No acumulado de 12 meses, a carga cresceu 3,4% em comparação com o período anterior.


Segundo o ONS, ‘os reflexos da crise econômica mundial na economia brasileira vêm se manifestando através da redução da exportação e das restrições de crédito aos consumidores, com a possibilidade de influenciar no comportamento da demanda interna com reflexos em segmentos industriais importantes’.


No subsistema Sudeste/Centro-Oeste, os valores preliminares de novembro apontam para aumento de 1,1% na carga em relação a novembro de 2007 e queda de 5,2% em relação a outubro de 2008. A avaliação do operador é de que a crise financeira está afetando o desempenho da atividade econômica da região, ‘levando setores de grande representatividade da indústria a tomarem medidas preventivas’. A carga apresentou também crescimento de 3,1% no acumulado dos últimos 12 meses, em relação ao igual período anterior.


Além disso, a ocorrência de frentes frias e temperaturas amenas a partir da segunda semana do mês contribuiu com os resultados. Já a carga de energia do submercado Sul verificou crescimento de 2,6% em novembro deste ano ante o mesmo mês do ano passado. Em comparação com outubro, os valores preliminares apontam para redução de 0,6%. A carga verificou também expansão de 3,9% no acumulado dos últimos 12 meses, ante o mesmo período anterior.


O ONS avalia que a diminuição de atividades de setores industriais, como as indústrias automotiva, moveleira e calçadista, e a ocorrência de baixas temperaturas influiu no resultado.


Ainda de acordo com o ONS, no Nordeste, a carga teve crescimento de 2,5% em relação a  novembro do ano passado, e de 0,9% em relação a outubro passado. Na avaliação do operador, os percentuais refletem efeitos de atividades sazonais, como colheita e moagem da cana-de-açúcar, iniciada em agosto e intensificada em outubro, já que o prolongamento do período chuvoso na região postergou a colheita. No acumulado dos últimos 12 meses, a variação da carga ficou em 3,6% frente ao mesmo período anterior. (Fábio Couto)

  Categorias: