Metalúrgicos do ABC mantêm nível positivo de emprego em outubro, diz Dieese

26 novembro 17:25 2008

Apesar da crise internacional e dos bancos ‘esconderem’ o dinheiro do crédito ao consumidor, foram criados novos postos de  trabalho na categoria. Na soma das sete cidades da Região, houve queda puxada pela construção civil, mas serviços e comércio também registraram alta
 
O nível de emprego na base dos metalúrgicos do ABC (São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra) se manteve positivo em outubro, na comparação com setembro deste ano, segundo levantamento da subseção do Dieese do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. No acumulado do ano, a categoria registrou um crescimento de 7,2%. A taxa média de aumento de postos de trabalho foi de 0,6% ao mês. Os metalúrgicos do ABC somam, hoje, 102.331 postos de trabalho.
 
Apesar de os bancos terem reduzido e dificultado as linhas de crédito para financiamento de veículos ao consumidor e da queda de vendas anunciada pelo setor automotivo, foram gerados, em outubro deste ano, 118 postos de trabalho, mantendo o nível de empregos em ascenção na base, fato registrado ao longo de todo o ano. O levantamento do Dieese se baseia nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho.
 
No setor montadoras e autopeças também houve nívelum crescimento de 54 empregos. Em outubro,  somaram 54.171 trabalhadores, contra 54.117, em setembro deste ano.
 
Durante este período de 13 meses (set/2007 a out/2008), foram criados 6.957 postos de trabalho na base dos metalúrgicos ABC, a maioria deles em montadoras e autopeças (3.406), setor responsável por quase 49% das contratações no período medido pelo Dieese. Juntos, os sete municípios do ABC somam 143,3 mil metalúrgicos.
 
Os metalúrgicos do ABC empregam atualmente 19,9% do total de trabalhadores da região (quase 720 mil). A participação do rendimento da categoria na massa salarial da Região também é expressiva: alcança 38,4% do total de mais de R$ 1,1 bilhão (dados de setembro), segundo  levantamento do Dieese sobre este item.    
 
Números de toda a Região – De acordo com os dados do Caged, em outubro de 2008, as sete cidades do ABC somavam 717.134 trabalhadores em todos os setores, 1.070 a menos que no mês anterior (718.204). Para efeito de comparação, o Dieese destaca que em dezembro de 2006 havia 643.522 trabalhadores na Região, um saldo positivo de 73.612 empregos no período.
 
A redução registrada em outubro na Região foi puxada principalmente pelo setor da construção civil. Houve um saldo negativo de 1.601 empregos no último mês – o setor demitiu 3.546 trabalhadores e contratou 1.945. Atualmente, existem 24.070 trabalhadores da construção civil em todo o ABC (3,4% do total). Ainda assim, este setor observou crescimento relevante do emprego em 21 meses (um total de 26,3%), pois em dez/06, havia 19.051 trabalhadores. 
 
Comércio e serviços têm alta – O segundo setor que apresentou queda nos empregos foi o da indústria da transformação (metalúrgicos, químicos, borracheiros, moveleiros etc). Houve  redução de 61 postos de trabalho. Esse setor na região atualmente emprega 257.572 trabalhadores.
 
No comércio, houve crescimento de 254 empregos – no total são hoje 118.236 trabalhadores. Segmento de serviços também cresceu – 390 postos de trabalho a mais, somando 269.889 trabalhadores em toda a Região.
 
Em um ano, entre outubro de 2007 e outubro de 2008, a rotatividade em todos os setores econômicos nas sete cidades do ABC foi de 41,5%. Houve uma evolução de 6,0% nos empregos e 5,9% na massa salarial. (Vanilda Oliveira)

  Categorias: