Novas tentativas de dividir para enfraquecer

16 dezembro 09:48 2008

Para evitar prejuízos, Sinergia CUT novamente mostra a verdade, esclarece os trabalhadores e denuncia ilegalidades


Às vésperas do Natal, sindicatos sem compromisso com a democracia preparam mais dois golpes fatais contra os trabalhadores, com a óbvia intenção de dividir e enfraquecer a categoria. O presente de grego mais uma vez está sendo preparado na surdina, mesmo depois da tentativa frustrada da Federaluz de querer mudar o estatuto, para passar de estadual a nacional, sem discussão com os trabalhadores e sem divulgar a assembléia marcada às pressas.
 
Vale lembrar que o Sinergia CUT denunciou a manobra, publicou boletim com informações para a categoria e promoveu assembléias para esclarecer  sobre o que estava por trás da trama. A verdade é que, com as desfiliações de sindicatos que se integraram ao projeto Sinergia CUT e com as que ainda estão para acontecer, a Federaluz corre o risco de desaparecer por não cumprir com uma exigência da nova legislação – mínimo de cinco entidades filiadas. Resultado: reunidos nos locais de trabalho, os eletricitários repudiaram a manobra com um abaixo-assinado que tem dezenas de assinaturas e rejeitaram por unanimidade a extensão de base daquela federação.


Dois golpes divisionistas
Agora, as tentativas de dividir para enfraquecer e prejudicar a categoria vêm em dose dupla, orquestradas pela Federaluz e pelo Sindluz de Ribeirão Preto. A primeira é a intenção de fundar um sindicato estadual de técnicos. A outra manobra é tentar estender a base territorial do sindicato municipal de Ribeirão Preto para cidades vizinhas para garantir ‘estabilidade’ a determinados diretores. Aliás, cidades que legalmente pertencem à base territorial do Sindicato dos Eletricitários de Campinas.
 
E tudo isso novamente sem nenhuma discussão com os trabalhadores. Ao contrário, parece que para as duas entidades a categoria não é nem um pouco bem-vinda e os trabalhadores são apenas um detalhe. Tanto é assim que as convocações das assembléias só saíram publicadas no Diário Oficial da União do último dia 04, jornal de circulação restrita.   


Garantir a democracia
Para evitar prejuízos aos trabalhadores, a exemplo das iniciativas já tomadas contra a Federaluz, o Sinergia CUT também registrou boletim de ocorrência para preservação de direitos, denunciou as novas ilegalidades ao Ministério Público do Trabalho e ao Ministério do Trabalho e Emprego, além de encaminhar as medidas judiciais cabíveis contra a federação e o Sindluz.
Porque patrão é patrão em qualquer canto. Sindicatos é que são diferentes.

  Categorias: