Novo presidente da CUT-SP é bancário

22 janeiro 11:17 2009

A direção da Central Única dos Trabalhadores de São Paulo oficializou nesta quarta-feira (21) Sebastião Geraldo Cardozo, o Tião, como presidente da entidade. Ele ocupa o cargo até maio deste ano, quando o congresso da CUT-SP definirá o nome para a gestão 2009-2012.


Até então vice-presidente da Central, Tião, ingressa no posto vago após a saída de Edílson de Paula, nomeado como Secretário de Trabalho e Renda do município de Mauá, na Grande São Paulo.


Edílson esteve à frente da entidade por duas gestões (2003-2006 e 2006-2009) e acredita que seu principal legado foi a atuação da CUT-SP em espaços além do movimento sindical. ‘Em seis anos comandando a Central Única dos Trabalhadores do estado que é a locomotiva da nação, colaboramos com a eleição do presidente Lula, sem jamais deixar de criticar ou apoiar o governo, conforme nossos princípios, e disputamos espaço das grandes mobilizações por meio de ações como os eventos de 1.º de maio e as edições do CUT Cidadã’.


Ele destaca ainda a participação na luta das mulheres trabalhadoras e contra o racismo, revertendo a imagem de uma Central radical para criar uma face propositiva.


O dirigente aproveitou ainda para enaltecer a continuidade do trabalho. ‘Saem as pessoas, mas o projeto continua. Tenho certeza que o Tião e a direção da CUT-SP organizarão um grande congresso e contribuirão para o enfrentamento da crise. Tenho orgulho de saber que enquanto algumas centrais querem vender o direito dos trabalhadores, nós não aceitamos combater a crise com outra crise, tirando renda’, finalizou.


Perfil
Sebastião Geraldo Cardozo, 50, nasceu em Icém, município no interior de São Paulo e atualmente reside em Araraquara. É casado e tem três filhos.


Ele iniciou a militância no começo da década de 1980, atuando no movimento estudantil e nos bancários de Araraquara.


Desde então, ocupou a presidência do Sindicato dos Bancários de Araraquara-CUT/SP por duas vezes (1987-1990 e 1993-1996). No ano seguinte, ingressou na direção executiva da Federação dos Bancários da CUT do Estado de São Paulo (FETEC/CUT-SP) e em 2001, se tornou presidente da entidade, carga que ocupava até se licenciar para assumir a presidência Cutista.


‘Nosso objetivo será realizar um processo de transição de maneira tranqüila, democrática e transparente para que a CUT-SP saia fortalecida. Nesses quatro meses também tentaremos implantar um novo olhar para as subsedes’, afirmou. (Luiz Carvalho)

  Categorias: