Mais morte na AES Tietê

25 maio 12:41 2009

Em menos de dois meses, segundo caso de acidente fatal na empresa foi registrado domingo (24), esse na usina de Ibitinga


Foi no início da noite deste domingo, 24 de maio. O técnico de manutenção mecânica Ivan Olegário G.B. Teixeira, do quadro próprio da AES Tietê, morreu no local do acidente, quando realizava serviço na Usina de Ibitinga, por volta das 18h30.


A tragédia aconteceu quando Ivan executava fechamento de comporta para liberação de Unidade Geradora para manutenção. Sofreu uma queda e caiu no ‘stop log’ (comporta). O colega de trabalho que estava com a vítima chamou imediatamente por socorro. Ao ser retirado da água pelo resgate do Corpo de Bombeiros, o técnico de manutenção já estava sem vida. O laudo com a causa da morte ainda não foi divulgado.


Estatística trágica
Espantosamente, em menos de dois meses, essa é a segunda ‘baixa’ registrada na AES Tietê. E o quarto caso de gravíssimo acidente de trabalho nas empresas da AES no estado de São Paulo em apenas um ano.


O mais recente caso na Tietê ocorreu com um trabalhador da empreiteira Servtec, Darço Ribeiro dos Santos Filho, que foi esmagado e morto pela parede interna do mancal, na Usina de Nova Avanhandava, no dia 29 de março passado.


Para a direção do Sinergia CUT, a estatística de acidentes e mortes na AES do Brasil revela a falta de investimento, de treinamento adequado e, acima de tudo, de respeito para com a integridade física e emocional do trabalhador. ‘A morte tão prematura desses companheiros nos faz refletir com mais intensidade sobre o descaso para com a vida. Não dá só para lamentar mais uma perda, todos juntos temos que exigir a apuração das causas e as providências necessárias para evitar tanta tragédia no setor’, afirma.


AES Tietê: quem não deve não teme. Sindicato quer acompanhar apuração!
O Sindicato enviou carta à AES Tietê solicitando providências para este e outros casos de irregularidades ocorridas na empresa e que vão contra a saúde e segurança do trabalhador. Mais uma vez, o Sinergia CUT solicitou participar da apuração do acidente.


Vale ressaltar que, nos últimos dois casos registrados, esse pedido foi negado pela empresa. Se isso ocorrer novamente, o Sinergia CUT acionará o Ministério Público do Trabalho para garantir a sua participação.

  Categorias: