Finalmente, AES Tietê apresenta proposta

15 julho 12:36 2009

Depois de muito debate durante a sexta rodada, geradora propõe 6,35% para os salários e aumentos diferenciados para benefícios


Depois de quatro horas de debate, uma primeira proposta rejeitada e um intervalo para a bancada dos trabalhadores, finalmente a direção da AES Tietê apresentou no início da tarde desta terça-feira (14) o que afirmou ser sua proposta final aos negociadores do Sinergia CUT. 


Vale lembrar que, em reunião realizada no último dia 08, o Sindicato cobrou dos representantes da geradora mais respeito com a mesa de negociação. O motivo do estresse foi que, com mais de uma hora de atraso, o negociador da empresa apareceu para dizer que ‘nada tinha a propor’ naquela que deveria ser a quinta rodada.


O Sinergia CUT repudiou então a atitude da AES Tietê que, passados 45 dias da data base, ainda não tinha nenhuma contraproposta para apresentar aos trabalhadores. E afirmou que, se a empresa não apresentasse proposta na reunião desta terça (14), os trabalhadores estavam dispostos a dar início às mobilizações nas usinas.


Até que enfim


Parece que a pressão fez efeito. No início da rodada desta terça, os negociadores chegaram a apresentar como final uma proposta que acabou rejeitada pela bancada dos trabalhadores, principalmente porque a AES Tietê queria novamente ter total liberdade para demitir com mudança significativa na Política de Emprego.
 
‘O Sinergia CUT rejeitou a proposta porque a empresa poderia demitir livremente desde que pagasse uma indenização dos trabalhadores. Queria comprar nossa estabilidade’, relatam os negociadores do Sindicato. ‘Além disso, sugerimos que a política já implementada para aposentados fosse incluída na cláusula de emprego e cobramos posição da empresa sobre outras reivindicações da pauta dos trabalhadores, como abono, jornada de trabalho, sobreaviso, licença gestante,  Bolsa de Estudos e quadro mínimo de 300 trabalhadores com redução da rotatividade’, destacam.


Em seguida, a AES Tietê refez sua proposta final, mas manteve algumas cláusulas já apresentadas. A proposta final da geradora é a seguinte:


– 6,35% de reajuste nos salários, com exceção de gerentes. Em relação ao ICV do Dieese, o índice tem 1,17% de aumento real
– 18,06% a mais no VA, com valor nominal de R$ 100 e participação do trabalhador em R$ 15
– 10,10% a mais no VR (de R$ 396 para R$ 436). A tabela de salários do trabalhador será reajustada de acordo com o índice de salário.
– VR nas férias com valor de R$ 360 (20% a mais) e pagamento em dezembro
– PLR: antecipação de R$ 2.555 (acréscimo de 20,53%). Pagamento até 14/08.
– Auxílio Creche com aumento de 10,17%, passando de R$ R$ 295 para R$ 325
– Auxílio Filho Deficiente com aumento de 10,94%, passando de R$ 320 para R$ 355
– Manutenção da atual Política de Emprego, com quadro mínimo de 270 para 285 trabalhadores
– Rotatividade de 3,5%, o que representaria 9,77 trabalhadores ao ano
– Compromisso de inclusão da Política de Incentivo a Aposentadoria já praticada no ACT
– 16,66% de reajuste no valor da Bolsa de Estudos, que passaria de R$ 300 para R$ 350, com aumento também das bolsas concedidas, que passariam de 30 para 40 contemplados
– Compromisso de estudar questões como licença gestante, jornada de 40h, medicina e segurança do trabalho no prazo de 60 dias
– Acordo Coletivo por dois anos, com vigência até 2011


A empresa afirmou que não discutirá o sobreaviso. Ao final da reunião ficou acertado que AES Tietê e Sinergia CUT realizarão pesquisa, em até 60 dias, para colher a opinião dos trabalhadores sobre o retorno do pagamento quinzenal.


Assembleias na semana que vem


O Sinergia CUT deve convocar assembleias para deliberação da proposta na semana que vem. Antes disso, a direção do Sindicato avaliará a proposta final da empresa em reunião de coordenação da Campanha Salarial 2009. Aguarde novas informações.

  Categorias: