CS Elektro: Quase lá!

31 julho 14:11 2009

Empresa apresenta avanços na proposta, mas para Sinergia CUT ainda é possível melhorar


Na última quinta (30), o Sinergia CUT conseguiu que a Elektro apresentasse proposta com avanços em relação a ultima rodada. Porém, o Sindicato sabe que é possível melhorar, como ocorreu em relação à rodada anterior, graças à base mobilizada nas reuniões que ocorreram no ultimo dia 27.


A empresa atendeu uma das reivindicações dos trabalhadores de reembolsar as despesas com da renovação ou mudança para a Carteira Nacional de Habilitação da Categoria ‘C’ para todos que utilizam o carro a serviço. Entretanto, a Elektro não concorda com o pagamento de abono de R$ 1.000.  O reajuste proposto inicialmente pela empresa foi de 6,4% sobre salários e benefícios (cesta, auxilio creche, VA/VR), condicionando a retirada definitiva da verba de movimentação de pessoal do Acordo Coletivo de Trabalho.


Depois de um exaustivo debate, a empresa apresentou nova proposta, mantendo a retirada da cláusula de 1,2% da movimentação pessoal:


o 6,4% nos salários e benefícios
o 6,6% no VA/VR, cesta base e auxilio creche
o Introduzir uma carta paralela para discutir questões ainda a serem estudadas


Apesar do avanço, o Sinergia CUT rejeitou a proposta por não concordar com a retirada definitiva da verba de movimentação de pessoal e apresentou a seguinte contra-proposta:
o Reajuste salarial: 6,46% (retira a verba de 1,2% da folha p/ movimentação e mérito apenas em 2009/2010);
o Reajuste de 7,5% nos benefícios VA/VR/ cesta base e auxílio creche;
o Abono: R$ 1.000


Como não houve consenso, uma nova rodada foi marcada para a próxima terça (04), na sede da empresa.



Comunicado lamentável


Em comunicado aos trabalhadores, a Elektro recorreu à crise econômica mundial para justificar sua proposta. Vergonhosamente a empresa afirma que: ‘a própria preservação dos postos de trabalho neste momento torna-se mais relevante (…)’.   Intencionalmente também esquece que, para uma empresa que se diz socialmente responsável, a manutenção de postos de trabalho é obrigação social, bem como a melhoria permanente dos salários, da  renda e qualidade de vida dos trabalhadores.


Assim, o Sindicato continua apostando na mesa de negociação e, junto com os trabalhadores, continua reivindicando mais o emprego e renda, principalmente nos benefícios de alimentação que tanto pesam no bolso dos energéticos.


Por este motivo, o Sinergia CUT suspende as mobilizações previstas no plano de luta, para a realização de assembleias informativas nos locais de trabalho até a próxima reunião.

  Categorias: