CS 2009 CESP: sem avanços

04 agosto 13:26 2009

Secretária de Saneamento e Energia afirma que não pode avançar nas negociações porque cumpre ordens do governo estadual

O Sinergia CUT participou, nesta quinta (30), de uma reunião entre a Secretária de Saneamento e Energia, Dilma Seli Pena e sindicatos para negociar o ACT 2009. No entanto, a proposta apresentada pela secretária não apresentou avanços, ficando muito aquém aos índices conquistados pelos trabalhadores nas demais empresas do setor energético.


Pela proposta ‘fnal’da CESP, o reajuste sobre salários seria de 5,48% e o reajuste sobre benefícios seria de 5,11%. Além disso, as cláusulas do acordo seriam mantidas com vigência de um ano. O Sinergia CUT apresentou a seguinte contraproposta:



  • 6,4% de reajuste nos salários

  • 8% no VA/VR

  • Hora Extra: Pagamento de 100% aos sábados, domingos e feriados

  • Discutir questões relacionados à Fundação CESP

  • PRR: voltar a PRR para uma folha de remuneração

Proposta indecente


A secretária informou que cumpre ordens do governo estadual e por isso não pode atender as reivindicações, apenas propor rearranjos entre o reajuste e o beneficio desde, que não haja custo financeiro para o Governo, como por exemplo: nenhum reajuste nos benefícios e 5,86% nos salários; ou, 4% nos benefícios e 5,60% nos salários. Dilma Seli Pena finalizou a reunião informando: ‘por parte do governo estadual, essa é a proposta final’.


Lamentavelmente o reajuste de 5,48%, proposto pelo governo de José Serra, coloca os trabalhadores da CESP em péssimas condições na campanha salarial 2009, comparando com outras empresas: Eletrobrás 7,5%, CPFL 6,4%, AES 6,35%, CTEEP 6,2%. Assim, até a próxima segunda (03), o Sinergia CUT realiza assembleias informativas nos locais de trabalho.

  Categorias: