Aumento da eletricidade eleva custo de vida

10 agosto 16:12 2009

Confira análise feita pelo Dieese:
 
Conforme informação divulgada pelo DIEESE, agosto/2009, a elevação no preço da energia elétrica foi determinante para que o ICV-DIEESE, calculado mensalmente para o município de São Paulo registrasse, em julho, aumento de 0,49%. Esta taxa é 0,44 ponto percentual (pp) superior à variação de 0,05% apurado em junho. A maior alta  – de 1,62% – ocorreu no grupo Habitação, devido à elevação no custo da energia elétrica (9,80%), que sozinha contribuiu com 0,29 pp para o índice do mês. As despesas com Transporte subiram  0,51%, e a Alimentação teve aumento de 0,42%. Dois grupos apresentaram forte retração em julho: Equipamento Doméstico, que registrou queda de 0,59%, e Vestuário com variação de -0,75%.



Índice por estrato – Além do índice geral, o DIEESE calcula ainda mais três indicadores de inflação, segundo tercis da renda das famílias paulistanas. Em julho, as taxas por estrato de renda foram: 0,74% para o 1º estrato; 0,54%, para o 2º  e 0,39%, para o 3º. O estrato 1 corresponde à estrutura de gastos de 1/3 das famílias mais pobres (renda média = R$ 377,49?); o estrato 2 contempla os gastos das famílias com nível intermediário de rendimento (renda média = R$ 934,17*) e o 3º estrato reúne aquelas de maior poder aquisitivo (renda média = R$ 2.792,90*).



Inflação acumulada – Nos últimos 12 meses – entre agosto de 2008 e julho de 2009 – o ICV-DIEESE acumula alta de 3,78%. Ao se considerar os diferentes estratos, as taxas são distintas: estrato 1, 3,11%; estrato 2, 3,22% e estrato 3, 4,20%. Neste ano, entre janeiro e julho, a inflação medida pelo DIEESE é de 2,22%. A maior variação (2,34%) foi detectada para o 3º estrato, enquanto para os dois outros estratos foram registradas taxas menores: 1,93% para o 2º e 2,22%, para o 1º.

  Categorias: