Call Center Elektro: negociação x Justiça

04 setembro 16:00 2009

Apesar de duas vitórias na Justiça, Sinergia CUT aposta na negociação para garantir melhores condições de trabalho


Nesta quinta (03), o Sinergia CUT participou da 2ª reunião de negociação da escala dos trabalhadores do Call Center da Elektro. Agora a empresa topou negociar porque o Sindicato ganhou a ação judicial em 2ª instância, restabelecendo as escalas previstas pelo Acordo Coletivo sob pena de multa diária, cabendo recurso apenas ao TST.


Nessa rodada a empresa melhorou muito pouco a proposta,  com a concessão de uma folga dupla abonada aos finais de semana a cada 56 dias, sem banco de horas. A jornada diária seria de  6h com duas pausas remuneradas de 10 minutos e um intervalo de 20 minutos, não remunerado, para repouso e alimentação, conforme a NR-17.


A empresa propõe ainda um abono único no valor de uma remuneração para cada trabalhador, a manutenção do atual esquema de horários, feriados e finais de ano e a aplicação da folga dupla já no primeiro final de semana após a celebração do Acordo. Outra proposta da empresa é uma folga dupla abonada aos finais de semana a cada 49 dias, sem banco de horas e sem abono.


Histórico
A escala que o TRT determinou ser retomada foi negociada com o Sinergia CUT em 26 de outubro de 2001 e garante duas semanas por mês de cinco dias trabalhados de 07h15 por dia e duas folgas por semanais (sábado e domingo); as outras duas semanas são de seis dias trabalhados de seis horas por dia e um dia de folga (sábado em uma semana e no domingo na outra). Ou seja: a escala garante ao trabalhador dois finais de semana de folga nos doze meses do ano. Depois da publicação NR17 (Norma Regulamentadora 17) em 2007, a empresa quebrou o ACT, alterando a escala de 6X6X1. No mesmo ano, o Sindicato entrou com uma ação na Justiça.


Em março de 2008, o Sindicato conquistou vitória em 1a Instância. Em novembro, a Elektro entrou com medida cautelar junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), suspendendo os efeitos que retomavam a escala de revezamento anterior. Em abril deste ano, o TRT julgou o recurso da Elektro, dando ganho de causa ao Sindicato e restaurando a decisão de 1a Instância.


Posição do Sindicato
O Sinergia CUT considera as propostas apresentadas pela empresa muito aquém da reivindicação da categoria e da decisão judicial. O Sindicato não abre mão da folga dupla mensal e das pausas e intervalos remunerados conforme decisão judicial, o que reduz a hora trabalhada e o tempo dentro da empresa.


Por tudo isso é que o Sinergia CUT ainda acredita que a melhor saída é a negociação, desde que seja construída uma proposta boa para a empresa e melhor para os trabalhadores: ‘Não adianta negar os fatos. Por duas vezes a Justiça deu ganho de causa ao Sindicato e o mais importante é garantir e criar novos empregos com mais renda e qualidade de vida’.


A próxima rodada de negociação acontece na terça-feira (08), às 9h, na Sede da Elektro.

  Categorias: