CUT realizará curso de combate a violência contra mulher

26 novembro 18:29 2009

Nesta quarta-feira, Dia Internacional de Combate a violência à mulher, a Central Única dos Trabalhadores em solenidade na sua sede reafirmou seu compromisso com a sociedade brasileira assinando um convênio para promover o curso de promotoras legais populares que visa orientar as mulheres sobre seus direitos.


O curso teve seu início em 2005, em São Bernardo do Campo, com o movimento de mulheres no ABC paulista e auxiliou essas companheiras a se defenderem das mais diversas formas de violência existentes ,atuando como multiplicadoras de informações em seus bairros e locais de trabalho.


A gerente de políticas para as mulheres e questão de gênero da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo, Dulce Xavier, ressalta que a formação de promotoras é uma das mais importantes ferramentas existente no país para empoderamento do sexo feminino. ‘A idéia é fazer com que todas as mulheres tenham conhecimento da história do movimento de mulheres, dos direitos e políticas públicas conquistadas para assim contribuir ainda mais com sua autonomia’.


A promotora de justiça integrante do Ministério Público Democrático, Eliana Vendramini, explicou o conteúdo programático que possui aulas de direitos sobre sexualidade, trabalho, penal, civil, orientações de saúde e participação popular. Eliana ressaltou em sua fala a importância de se ter em todos os municípios uma Defensoria Pública para assim coibir a violência contra a mulher. ‘Em Mauá não existe defensoria pública, então houve um caso em que uma vítima de agressão teve que fazer um acordo com o advogado do seu marido por não ter dinheiro para pagar um representante’. ‘Espero que com a adesão da CUT o curso possa se expandir e assim gerar mais conhecimento para termos uma sociedade igual’.


A secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT/SP, Sônia Vasconcelos, agradeceu o apoio do coletivo de mulheres e aproveitou para anunciar a data do início das aulas. ‘Depois das nossas reuniões com a participação do coletivo de mulheres chegamos à conclusão de que não haveria nada melhor contra a violência do que a realização deste ato e do curso que tem previsão para se iniciar em fevereiro de 2010’.


Estava presente ao evento o presidente da Central Única dos Trabalhadores, Artur Henrique, que comentou a iniciativa, e a importância social do curso. ‘A CUT São Paulo merece os parabéns por essa iniciativa, espero que esse curso se estenda para as outras estaduais, e tenho certeza que isto servirá para formar companheiros (as) para o debate melhorando assim nossa ação sindical’.


O presidente da CUT, Adi dos Santos Lima classificou a Central Única dos Trabalhadores como uma Central avançada por colocar em sua pauta problemas relevantes para toda a sociedade. Adi fala da necessidade de se fazer chegar a informação em todo o Estado. ‘Nós andamos por todo o Estado de São Paulo e observamos que a informação não chega a quem deveria, espero que através desse curso possa chegar o debate em todos os lugares e principalmente nos locais de trabalho’.


O curso de promotoras legais populares é ministrado no Distrito Federal, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. No Estado de São Paulo o curso está presente em dezenove municípios.

  Categorias: