Saúde do Trabalhador

22 março 18:10 2010

Oficina da CUT debate os desafios para o mundo do trabalho nas áreas de seguridade social, desenvolvimento e saúde


O segundo dia da Oficina sobre Seguridade Social realizada pela Secretária da Saúde do Trabalhador da CUT nesta quarta-feira (17) foi pautado pelos debates sobre os desafios da intersetorialidade.


Presente à mesa da manhã, Maria Maeno, representante da Fundacentro, afirmou que o fortalecimento de um grupo intersetorial tem que ser baseado numa política de governo como política de estado, que discuta estratégias, programas efetivos legitimados pelos setores sociais. “Precisamos sensibilizar o governo, através de campanhas sindicais, movimentos sociais, para que ele coloque o trabalhador como elemento importante dentro do desenvolvimento econômico.”


A realização da 3ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador em 2005 com a participação dos três Ministérios (Saúde, Trabalho e Previdência Social) que compõem o sistema de Seguridade Social e a adoção de uma Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador foram avanços conquistados durante o governo Lula, conforme relata Domingos Lino, representante do Ministério da Previdência.


Domingos Lino lembra ainda, que neste ano, o Brasil sediará a Conferência Mundial de Sistemas de Seguridade Social, na qual a CUT faz parte da comissão organizadora.


 Domingos Lino, Maria Maeno e Dary BeckPara Dary Beck, diretor executivo da CUT, a participação da Central nas diversas instâncias nacionais, estaduais e municipais é um fator a ser levado em consideração no âmbito do controle social. “Na área da saúde, a Política Nacional de Segurança de Saúde do Trabalhador, com uma comissão tripartite, foi um grande avanço. Não é como gostaríamos, pois o empresariado ainda impede qualquer avanço, mas sempre estaremos lutando pelo protagonismo do movimento social e sindical.”


Projeto CUTista para 2010


Ao final da Oficina foi definido um calendário de ações para este ano. Além do NTEP/FAP e Políticas de Vigilância em Saúde do Trabalhador, a CUT através da Secretária de Saúde do Trabalhador e do Instituto de Saúde do Trabalhador (INST), pretende desenvolver vários debates sobre Seguridade Social no Brasil no que diz respeito às políticas de proteção social. “Precisamos combater todas as formas de sofrimento imputadas cotidianamente aos trabalhadores e trabalhadoras, chegar de forma efetiva até os locais de trabalho, assegurar a proteção da vida e da saúde’, estes são alguns dos desafios relatados por Manoel Messias Melo, secretário da Saúde do Trabalhador da CUT.


Durante o ano de 2010 serão realizados dez Seminários sobre Seguridade Social no Brasil no que tange as políticas de proteção social, saúde, trabalho, previdência e assistência social com a participação de dirigentes sindicais, secretários de Saúde do Trabalhador das Estaduais da CUT e ramos, representantes sindicais no controle social de políticas publicas em saúde do trabalhador.


Ficou definido também que o Seminário Nacional ocorrerá em novembro e os Seminários macro-regionais e regionais a serão realizados no primeiro semestre, antes do período eleitoral.



(William Pedreira)

  Categorias: