Sinergia CUT em Brasília

27 maio 14:17 2010

Com agenda ampla, Sindicato se reúne com Ministério da Previdência, Aneel e Secretaria do Trabalho. Em pauta, Aposentadoria Especial, Irregularidades da CTEEP e Política Nacional de Saúde e Segurança


Em apenas um dia na capital brasileira, na última quarta (26), o Sinergia CUT cumpriu uma agenda extensa, com três importantes encontros. Os assuntos tratados fazem parte da luta histórica dos energéticos do estado de SP.


O primeiro encontro aconteceu no Ministério da Previdência Social, onde o Sindicato conversou com Remigio Todeschini, diretor do Departamento de Políticas de Saúde e Segurança Ocupacional. “Resgatamos lá o compromisso do debate sobre a aposentadoria especial para eletricitários”, declarou Gentil Teixeira de Freitas, presidente do Sindicato dos Eletricitários de Campinas.


Denúncias à Aneel
Depois desse encontro, foi a vez de Nelson Hubner, diretor geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), receber os dirigentes sindicais. Para Jesus Francisco Garcia, presidente do Sinergia CUT, a reunião foi positiva.


“Entregamos à Aneel o relatório sobre as irregularidades cometidas pela CTEEP, falamos sobre a precarização do trabalho e colocamos nossa posição quanto à empresa de referência”, informou.


Segundo Jesus Garcia, Nelson Hubner se comprometeu a ler com atenção não apenas o relatório sobre a CTEEP, mas também tantos quantos o Sinergia CUT encaminhar à Aneel. “Estamos subsidiando as autoridades com documentos e provas para que resoluções sejam tomadas e saídas encontradas’, afirmou.


E Gentil completou: ‘Estamos fazendo a nossa parte na defesa dos direitos e da vida dos trabalhadores energéticos e da melhoria da qualidade dos serviços públicos”.


PNSST
E, antes de retornar para o Sindicato, os sindicalistas passaram pelo Ministério do Trabalho, para checar como anda a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho. Vale lembrar que o texto final dessa política, foi elaborado pela Comissão Tripartite, formada pelos ministérios do Trabalho, Saúde e Previdência, centrais sindicais e confederações patronais.


“Fomos informados que esse texto já foi encaminhado para o presidente Lula e o governo federal já estuda o lançamento oficial da PNSST. Estamos no aguardo”, afirmou Jesus Garcia.

  Categorias: