Remo: morte e mobilização

14 junho 14:18 2010

Trabalhadores protestam contra a precarização que fez mais uma vítima fatal. Empresa se compromete a acompanhar rotina dos trabalhadores


Os trabalhadores da Remo – empreiteira de São José dos Campos que presta serviços à Bandeirante Energia – decidiram voltar ao trabalho na última sexta (11), depois de quase quatro dias de paralisação. O protesto era contra a precarização que fez uma vítima fatal na empresa. José Marcos da Silva morreu no dia 27 de maio passado, durante a realização do trabalho sobre um poste de energia.


Segundo denúncias que chegaram ao Sindicato o trabalhador estava há mais de 50 dias sem folga e com sérias dificuldades para o cumprimento do horário de almoço.


A suspensão da greve se deu depois que a empreiteira se comprometeu em acompanhar, até o final desta semana, junto com equipe técnica da Bandeirante Energia, a jornada de trabalho que está sendo submetida os trabalhadores da Remo. O objetivo é reavaliar a quantidade de ordens de serviço que cada trabalhador poderá cumprir com segurança no período de um dia, bem como o valor que está sendo pago pelo atendimento a cada uma delas.


Segundo informações dos membros da Cipa ao Sindicato, o gerente da Remo garantiu também que não haverá retaliação por parte da empresa, ou qualquer pressão em função da greve ocorrida. O Sinergia CUT continua batalhando para que uma mesa redonda aconteça o mais breve possível. Além disso, o Sinergia CUT cobra apuração rigorosa das causas do acidente fatal.

  Categorias: