CESP: primeira rodada sem proposta

16 junho 20:05 2010

Empresa apenas marca data da próxima rodada e informa que Codec autorizou pagamento da PRR que para o próximo dia 21


A primeira rodada de negociação entre Sinergia CUT e Cesp terminou na tarde desta quarta-feira (16) sem proposta por parte da empresa. Os negociadores apenas informaram que o governo não autorizou a direção da CESP a apresentar proposta aos trabalhadores, destacando que há um ofício do governo do estado (001/2009) que impede que a empresa conceda reajuste aos trabalhadores acima do ICP-FIPE: 4,93%, mesmo que a empresa tenha lucros nos seus balanços.


Ou seja, a exemplo do ano passado, o ICP-FIPE é um dos piores índices. Para a direção do Sinergia CUT, essa limitação de reajuste reflete a posição do governo Serra de engessar a direção da CESP, tirando a autonomia dos negociadores: “Essa atitude é um flagrante desrespeito aos trabalhadores que construíram uma das maiores empresas do setor elétrico brasileiro”.


O Sinergia CUT afirmou que a empresa deve se manifestar no sentido de avançar no processo de negociação, considerando a pauta com a reivindicação dos trabalhadores na íntegra. “Caso a empresa não se posicione, ou não atenda a expectativa dos trabalhadores, a resposta será a mobilização da categoria”, afirma a direção do Sinergia CUT. A segunda rodada de negociação do ACT foi marcada para a próxima quinta (24).


Durante a semana o Sinergia CUT realizará assembléias informativas em todos os locais de trabalho. Acompanhe!


Em tempo…
Valeu a pena os trabalhadores manifestarem-se através de abaixo-assinado reivindicando pagamento imediato da PRR. Na reunião de hoje (16), a empresa informou que o CODEC autorizou o pagamento da PRR, que será creditado no dia 21/06.


A PRR será de R$ 3.248,64 igual para todos os trabalhadores mais 47,7% proporcional ao salário do trabalhador (salário + ATS).
O Sindicato ressalta que a forma de distribuição da PRR na CESP corresponde a 52,5% igual para todos os trabalhadores e 47,5% proporcional ao salário. Como o cumprimento da meta atingiu 99,93%, a parte proporcional que será paga aos trabalhadores será de 47,47%.

  Categorias: