AES TIETÊ: Avanço em algumas cláusulas, retrocesso em outras

17 junho 19:34 2010

Sindicato não concorda com reajuste de 5,22% e com o fim das cláusulas de Política de Emprego e Gratificação de Férias


A quinta rodada de negociação entre Sinergia CUT e AES Tietê ocorreu nesta quinta (17), com avanço na negociação de algumas cláusulas sociais, porém com retrocesso nas cláusulas de Política de Emprego e Gratificação de Férias, uma vez que a empresa pretende acabar com as mesmas. Nesta rodada não houve avanço na negociação dos itens econômicos, pois a empresa abriu a reunião apresentando os pontos em que concorda com as reivindicações feitas pelos trabalhadores.


O Sinergia CUT repudiou a atitude da empresa em propor a retirada de direitos conquistados pelos trabalhadores. Para Sindicato, a proposta de 5,22% de reajuste não reflete a alta rentabilidade que a empresa vem apresentando nos últimos anos. 


 “Reafirmamos na mesa que o custo operacional da AES Tietê é baixíssimo, pois dos 100% do valor agregado, 51% é direcionado para os investidores, 38% para o Governo a título de impostos e 3,52% para os trabalhadores, sendo um dos menores percentuais do setor destinado aos trabalhadores”, destaca a direção do Sinergia CUT.


Por esse motivo, os dirigentes do Sindicato realizarão assembléias informativas em todos os locais de trabalho, apresentando à categoria um plano de luta com a mobilização de todos os trabalhadores para que a negociação na AES Tietê avance definitivamente. A próxima rodada de negociação foi marcada para a próxima quarta (23), às 10h.


Confira os pontos em que a AES Tietê avançou:
• Vigência do ACT: Até 31/05/2012
• Parcelamento de férias: concorda em parcelar para quem tem mais de 50 anos
• Lanche HE: empresa aceita incluir política de Lanche Hora Extra sempre que o trabalhador realizar mais de duas horas extras/dia;
Os trabalhadores definirão durante as assembléias se a concessão do beneficio será em espécie ou em dinheiro
• PLR:  garante a PLR até 2012 e concorda em discutir o valor e as metas através de Termo Aditivo, ou seja, fora da Campanha Salarial


Garante antecipação para setembro/2010 e a 2ª parcela em março de cada ano


• Estagiários: aceita incluir no ACT, porém a empresa estará propondo redação complementar à proposta da pauta de reivindicação.
• Igualdade de Oportunidade: aceita incluir
• Assedio Moral: a empresa propôs elaborar cláusula que contemple a reivindicação contida na pauta dos trabalhadores. 
• Assistente Social: empresa propôs elaborar texto com o objetivo de atender as reivindicações dos trabalhadores, onde os profissionais visitarão os locais de trabalho periodicamente.
• Auxílio Creche para homens: a empresa concorda em elaborar texto que permita avançar na concessão do beneficio, o que poderá ser diferenciado das mulheres.
• Aposentadoria: A empresa concorda em discutir melhorias na atual política de incentivo à aposentadoria e incluirá no ACT
• Fundação CESP: (BSPS), a empresa em conjunto com o sindicato fará um levantamento dos dados junto à Fundação Cesp e somente após essa etapa, a partes discutirão a possibilidade de recadastramento. Prazo 60 dias.
• Saúde e Segurança: sem prejuízo a atual cláusula, a empresa se compromete em até 60 dias criar comissão com a participação do sindicato para acompanhar e discutir a política de segurança implementada pela empresa.
• PCS: a empresa somente concorda em apresentar o plano de cargos e salários às entidades sindicais, porém não discute o mesmo com os sindicatos.
• Qualidade de Vida: concorda em introduzir no ACT a política já praticada pela empresa referente a qualidade vida em consonância com a pauta de reivindicação dos trabalhadores.
• Direito de recusa: a empresa aceita a proposta apresentada pelo Sinergia CUT


Novas cláusulas
a) Direito de Organização Sindical: sem prejuízo a atual cláusula de Direito de Organização Sindical, a empresa se compromete em até 60 dias discutir com o sindicato a possibilidade de ampliar a cláusula no ACT.


b) Contrato Coletivo de Trabalho e Fim das praticas anti-sindicais: as partes discutirão em 60 dias.


c) Igualdade de oportunidades e Políticas de mulheres, negros e PPD: inclui no ACT e discute com a comissão (com a participação do sindicato) no prazo de até 60 dias.


• Licença Maternidade: Concorda em prorrogar para 180 dias;


 O Sinergia CUT ainda aguarda retorno por parte da empresa em relação aos seguintes pontos:


• Aumento Real nos salários e benefícios
• Redução da jornada de trabalho
• Extensão do auxílio creche para os pais
• Dupla Função
• Terceirização
• Inclusão de dependente no AMH
• Auxilio Educação
• Aumento do valor da Hora Extra e eliminação do Banco de Horas (10 horas)
• Sobreaviso

  Categorias: