AES Tietê: demissão arbitrária

05 julho 10:34 2010

Trabalhadores fazem protesto no portão da usina de Promissão. Sindicato quer a reintegração do profissional dispensado


Cerca de 70 trabalhadores da usina de Promissão da AES Tietê realizaram um protesto no portão da empresa, na última sexta (02). A manifestação era contra uma arbitrária demissão ocorrida no dia 01. Novos atos serão realizados nesta semana em outros locais de trabalho, ocasião em que os trabalhadores utilizarão faixas pretas em sinal de repúdio.


“É inadmissível o que a AES Tietê vem fazendo. A empresa infringiu o Acordo Coletivo e a própria legislação brasileira, já que estamos em plena data base e em tratativas para construção de um novo ACT”, alega a direção do Sindicato.


Vale lembrar que, em pesquisas de opinião realizadas pelo Sinergia CUT na empresa, já havia sido contatada a insatisfação da categoria com relação ao clima organizacional e gestores.


 “O clima está péssimo. Os trabalhadores estão trabalhando cada vez mais sob pressão”, afirma a direção.


O Sinergia CUT repudia a atitude da AES Tietê e, com o objetivo de reverter a situação do companheiro injustamente demitido, enviou carta à geradora reivindicando a reintegração do trabalhador, sob pena de tomar as medidas judiciais cabíveis e até interromper o processo de negociação em curso.


 

  Categorias: