Trabalhadores vão às ruas contra o retrocesso e as privatizações

18 outubro 14:31 2010

Na próxima quinta-feira, 21, caravanas com petroleiros de vários estados do país seguirão para o Rio de Janeiro, onde a FUP, junto com as centrais sindicais e movimentos sociais, realizará um ato público, em frente à sede da Petrobrás, em defesa do patrimônio público e contra o projeto privatista de José Serra (PSDB/DEM). A concentração terá início às 15 horas, com participação de trabalhadores de várias categorias, estudantes, centrais sindicais e demais movimentos sociais.

 

“Temos consciência do que representou para o povo brasileiro o programa de privatizações e desmonte do Estado promovido pelo governo FHC/Serra do PSDB e DEM”, ressalta o coordenador da FUP, João Antônio de Moraes. “Não podemos permitir o retorno dessas ameaças ao nosso país. Este ato é para reforçar a nossa luta em defesa do Brasil, da soberania nacional sobre os nossos recursos naturais e em prol do povo brasileiro”, declara.

 

David Zylberstajn, assessor do candidato José Serra e responsável pelas propostas dos tucanos para o setor de energia, defende explicitamente o regime privatista de concessão dos blocos de petróleo e gás.  Ele declarou recentemente que a aliança PSDB/DEM não manterá a Petrobrás como operadora única do pré-sal e criticou o aumento da participação do Estado na empresa.  Zylberstajn presidiu a ANP no governo Fernando Henrique Cardoso/Serra e foi um dos mais ferrenhos defensores da privatização da Petrobrás. Partiu dele, por exemplo, o projeto de venda de ativos da estatal, como a entrega dos 30% da Refap e a tentativa de redução do controle da Petrobrás em outras unidades de refino, como Reduc e Fafen.

 

A FUP e a CUT defendem o monopólio estatal do petróleo, através da Petrobrás online casinos 100% pública, como estabelece o projeto de lei 531/2009, construído pelos movimentos sociais, que está em tramitação no Senado.  “Nossa luta é pelo restabelecimento do monopólio estatal, mas entendemos que o regime de partilha, proposto pelo atual governo, é muito superior ao das concessões. Não podemos permitir o retrocesso. A aplicação do regime de concessão em toda área do pré-sal, como ameaçam os tucanos e demos, seria um prejuízo muito grande para o país e para as futuras gerações de brasileiros”, destaca o coordenador da FUP.

 

O ato dos petroleiros na próxima quinta-feira, em frente à sede da Petrobrás, soma-se a várias outras manifestações que as centrais sindicais e os movimentos sociais têm organizado para denunciar as intenções privatistas de José Serra.  O projeto político dos tucanos/demos tem por base o desmonte do Estado, o ataque aos direitos trabalhistas e a criminalização dos movimentos sociais. Mais do que nunca, é preciso que as militâncias e os trabalhadores estejam nas ruas para barrar o retrocesso. (Assessoria de Imprensa FUP)

 

 

  Categorias: