Dieese: 13º deve injetar R$ 102 bi na economia, alta de 20%

21 outubro 12:57 2010

Até dezembro de 2010 devem ser injetados na economia brasileira cerca de R$ 102 bilhões em decorrência do pagamento do 13º salário, 20% a mais do que em 2009, segundo divulgou o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) nesta quinta-feira. Em 2009, o valor pago em 13º salário foi de R$ 85 bilhões.
O número de pessoas que receberá o 13º salário em 2010 é cerca de 5,85% superior ao observado em 2009. Estima-se que 4,9 milhões de pessoas passarão a receber o benefício, por terem requerido aposentadoria ou pensão ou se incorporado ao mercado de trabalho ou ainda formalizado o vínculo empregatício.


‘A retomada das contratações em ritmo mais vigoroso, em 2010, foi sem dúvida um elemento importante para que o conjunto de beneficiários do abono neste fim de ano tivesse um crescimento maior que o observado em 2009’, afirmou o Dieese em nota.


O montante deste ano representa aproximadamente 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB) do País e engloba os trabalhadores do mercado formal, inclusive os empregados domésticos e beneficiários da Previdência Social, aposentados e beneficiários de pensão da União e dos estados. Cerca de 74 milhões de pessoas serão beneficiadas, segundo estimativa do Dieese.


Dos brasileiros que devem receber o 13º salário, aproximadamente 28,6 milhões, ou 38,6% do total, são aposentados ou pensionistas da Previdência Social. Os empregados formais (45,4 milhões de pessoas) correspondem a 61,4% do total.


Regiões


A região sudeste deve ficar com 51,4% dos R$ 102 bilhões; outros 15,4% do montante a ser pago devem ficar na região sul; enquanto o nordeste ficará com 14,9%. Para as regiões centro-oeste e norte irão, respectivamente, 8,5% e 4,3%.


O maior valor médio para o 13º (considerando todas as categorias de beneficiados) deve ser pago em Brasília (R$ 2.850) e o menor, no Maranhão (R$ 830).


Setores


Os trabalhadores do setor de serviços (incluindo administração pública)ficarão com 62% dos R$ 69,5 bilhões a serem pagos aos funcionários do setor formal em 13º este ano. Os empregados da indústria ficarão com 22%; os comerciários terão 13%; os trabalhadores da construção civil com 4,6% e apenas 2% será destinado aos trabalhdores da agropecuária brasileira.


Em termos médios, o valor do 13º salário pago ao setor formal corresponde a R$ 1.609. A maior média deve ser paga para os trabalhadores do setor de serviços, correspondente a R$ 1.888; o setor industrial aparece com o segundo valor, equivalente a R$ 1.803 e o menor 13º salário (R$ 900) foi verificado entre os trabalhadores do setor primário da economia.


Critérios


A estimativa leva em conta dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).


Também foram consideradas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente a 2009, e informações do Ministério da Previdência e Assistência Social e da Secretaria Nacional do Tesouro (STN).


No caso da Rais, o Dieese considerou todos os assalariados com carteira assinada, empregados no mercado formal, nos setores público e privado, que trabalhavam em dezembro de 2009 e o saldo do Caged do ano de 2010 (até agosto). Da Pnad, foi utilizado o contingente estimado de empregados domésticos com registro em carteira.

  Categorias: