ABC: CUT Cidadã Consciência Negra será celebrado em São Bernardo

16 novembro 18:17 2010

Nesta semana acontecerão atividades em todo o País que celebrarão o Dia da Consciência Negra, que acontecerá no próximo sábado, dia 20 de novembro. A CUT-SP dará a sua contribuição e promoverá em parceria com a prefeitura de São Bernardo do Campo, o programa social “CUT Cidadã Consciência Negra”.


O evento que iniciará a partir das 9h na Praça Geovane Breda (área Verde) — próxima ao bairro de Assunção — levará cidadania, cultura e conscientização dos direitos sobre esta importante data histórica aos moradores da região. “Faremos uma justa homenagem ao herói negro João Cândido, que se tornou conhecido como o líder da Revolta da Chibata. Ele organizou uma grande rebelião contra os abusos praticados naquela época contra os escravos que eram castigados com chibatadas. É importante que as pessoas conheçam as histórias destes grandes heróis brasileiros”, explica o presidente da CUT-SP, Adi dos Santos Lima.


Serviços e shows
Os moradores de São Bernardo vão usufruir de um conjunto de serviços sociais gratuitos, como emissão da 1ª via da carteira de trabalho e do RG, massagem, limpeza de pele, corte de cabelo entre outros. A prefeitura também divulgará um desfile que valorizará a beleza da mulher afrodescendente. Quem visitar o CUT Cidadã Consciência Negra no sábado, dia 20, também curtirá shows ao vivo com o DJ Esquenta a Juventude, Sorriso Negro e Netinho de Paula. 


Histórico
Militar gaúcho (1880-6/12/1969). É conhecido como o líder da Revolta da Chibata. João Cândido Felisberto nasce em Encruzilhada e alista-se na Marinha com 13 anos. Em novembro de 1910 serve como marinheiro no encouraçado Minas Gerais, que parte com destino ao Rio de Janeiro. Durante a viagem, um de seus companheiros, Marcelino Rodrigues Menezes, recebe o castigo de 25 chibatadas por desacatar ordens superiores. Embora fosse regra da Marinha usar a chibata para esse tipo de infração, o episódio provoca indignação da tripulação e detona o movimento.


O comandante do Minas Gerais é morto pelos militares e os oficiais abandonam a embarcação. Tripulações de outros navios também se rebelam e ameaçam bombardear o Rio de Janeiro. Além da abolição dos castigos corporais, os marinheiros exigem aumento de salário e redução da jornada de trabalho e pedem também a anistia dos revoltosos, que estava em discussão no Congresso. A rebelião termina com o compromisso do governo de acabar com a chibata na Marinha.


Pouco tempo depois, a eclosão de um novo levante entre os marinheiros, agora no quartel da ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, é reprimida pelas autoridades. Apesar de declarar-se contra a manifestação, João Cândido é expulso da Marinha, sob a acusação de ter favorecido os rebeldes. Morre no Rio de Janeiro aos 89 anos. 


Serviço
CUT Cidadã Consciência Negra
Data: 20 de novembro (sábado)
Horário: 9h às 18h
Local: Praça Geovane Breda (área Verde), próxima ao bairro de Assunção
Entrada: franca


 

  Categorias: