Energia: Brasil investirá quase R$ 1 trilhão na próxima década

30 novembro 15:45 2010

O investimento necessário para suprir a demanda energética do Brasil na próxima década será de R$ 952 bilhões, de acordo com o Plano
Decenal de Expansão de Energia 2019 (PDE 2019), aprovado nesta segunda-feira, pelo Ministério de Minas e Energia (MME). Grande parte desta verba, cerca de R$ 672 bilhões, deverá ser aplicada em exploração, produção e oferta de petróleo e gás natural.

 

O PDE 2019 aponta que a produção de petróleo aumentará 161% e a de gás natural 187%. Para acompanhar esse “crescimento chinês” da produção de gás, os gasodutos brasileiros devem ser ampliados em 1,7 mil quilômetros. Atualmente, a malha de gasodutos têm 8,8 mil quilômetros e é 54% maior do que em 2003.

 

A rede de transmissão, que garante o intercâmbio de energia elétrica entre as regiões brasileiras, também será fortalecida com R$ 39 bilhões. Isso porque as linhas de transmissão terão de ser capazes de suportar uma ampliação de 53% da oferta de energia, que saltará de 539 terawatts hora (TWh) em 2010 para aproximadamente 830 TWh em 2019.

 

Estão previstas, por exemplo, a integração Manaus – Macapá, e a interligação Manaus – Boa Vista, que irá integrar o estado de Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN). A extensão atual do sistema de transmissão brasileiro é de 97 mil quilômetros, 28,9% maior do que em 2002.

 

Aumento na demanda
Com o objetivo de compreender melhor esse aumento gradativo na demanda de energia, os técnicos do MME explicam que, se fossem convertidas todas as formas
de energia em “Toneladas equivalentes de petróleo” (Tep), o Brasil teria consumido 228 milhões de toneladas em 2010 e chegará a 365 milhões em 2019, o que corresponde a crescer a uma taxa anual média de 5,4%.

 

Ainda de acordo com o PDE 2019, a demanda de biocombustíveis terá aumento médio anual de 9,8% para o biodiesel e 8,7% para o etanol, implicando investimentos de R$ 66 bilhões em um futuro próximo.

 

Produção de etanol
A produção de etanol tem acompanhado esta evolução da demanda. Na safra 2010/11, atingiu 28,5 bilhões de litros, aumento de 12% em relação à safra anterior. A produção nacional de etanol passou de 14,6 bilhões de litros na safra 2003/04 para 25,9 bilhões de litros em 2009/10.

 

Essa ampliação da oferta de etanol, biocombustível que reduz as emissões de dióxido de carbono (CO2) em até 61%, acompanha a evolução da comercialização de carros bicombustíveis (flex fuel). Foram comercializados, desde 2003, 10,3 milhões de veículos flex-fuel (69% do total). Em 2009, com a venda de 2,7 milhões de unidades, a participação foi de 88% do mercado.

 

 

  Categorias: