Em reunião com ministro das Comunicações, CUT e FNDC defendem novo marco regulatório

28 janeiro 17:36 2011

Reunião do Ministério com o conjunto dos movimentos sociais acontecerá em meados de fevereiro


A Central Única dos Trabalhadores e o Fórum Nacional pela Democratização (FNDC) foram recebidos nesta quinta-feira (27) em Brasília pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.


“Expusemos a necessidade e a urgência da aprovação de um novo marco regulatório para democratizar o setor, que transformou a informação em negócio, monopolizando a palavra conforme interesses mercantis, sem dar espaço ao contraditório. Precisamos que concessões públicas, como são as emissoras de rádio e televisão, contemplem a pluralidade e a diversidade de vozes, o que é essencial para o aprofundamento da própria democracia em nosso país”, declarou Rosane Bertotti, secretária nacional de Comunicação da Central Única dos Trabalhadores e também dirigente do FNDC.


Para Rosane, as declarações da presidenta Dilma Rosseff em defesa da liberdade de expressão contribuíram para colocar o tema com destaque na pauta, mas advertiu que “só teremos efetiva liberdade quando houver uma regulação do setor e a sociedade tiver canais para se expressar”. “Precisamos fortalecer os instrumentos públicos e de estímulo à mídia alternativa e comunitária, com injeção de recursos, publicidade, caso contrário estaremos relegando os nossos instrumentos online casinos à morte por inanição”, acrescentou.


Acompanhada do coordenador do FNDC e presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Celso Schroeder, e de Roseli Gofman, do Conselho Federal de Psicologia, Rosane Bertotti defendeu a necessidade de que o governo assuma como política pública, de Estado, as propostas aprovadas na Conferência Nacional de Comunicação (Confecom).


O ministro destacou que as propostas da Confecom servirão de referência para sua atuação à frente da pasta e que deseja ampliar o diálogo com o conjunto dos movimentos sociais para estabelecer um canal de comunicação permanente com suas entidades. Em meados de fevereiro, comprometeu-se Paulo Bernardo, será feita uma reunião onde o governo vai expor sua proposta de marco regulatório. O ministro disse que o projeto deve ser enviado ao Congresso ainda este ano, mas que antes precisa ser melhor discutido com a sociedade: “Sou a favor, tanto quanto possível, de desconcentrar a mídia, de que ela seja o mais diversificada e plural. Temos de ter uma proposta embasada tecnicamente, politicamente e socialmente para ter chance de avançar no Congresso”, acrescentou.


Rosane avaliou como muito positivo o movimento do ministro por trazer para a agenda as demandas do movimento pela democratização da comunicação, sublinhando a necessidade de maior articulação e mobilização para dar sustentação à agenda. “Vamos pautar a questão dentro da Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS). Sem dúvida será um dos pontos centrais da nossa plenária nacional do dia 25 de fevereiro em São Paulo”, concluiu.

  Categorias: