CESP é condenada por assédio moral

CESP é condenada por assédio moral
04 março 17:24 2011 Cecília Gomes

Juiz condena empresa a indenizar trabalhador de Porto Primavera que foi vítima de assédio moral

O juiz José Eduardo Bueno de Assumpção, da Vara de Trabalho de Teodoro Sampaio, condenou a CESP por ter cometido assédio moral contra o trabalhador Ademir Simões, que prestava serviço em Porto Primavera.

Ademir Simões entrou na CESP em 1978 e foi submetido ao assédio moral pelo assistente de diretor. Os depoimentos da vítima, da testemunha e documentação anexada ao processo foram suficientes para comprovar que o trabalhador foi submetido a situações constrangedoras como ‘fiscalizações não usai’s, redução de serviços, atribuições e até mesmo espaço físico de trabalho.

Ademir Simões chegou a solicitar transferência para se afastar do assédio moral, mas teve seus pedidos insistentemente negados. “Quem sofre uma discriminação e uma perseguição como as de que o autor foi vítima, com tamanha carga de arbitrariedade, por evidente é lesado em sua honra, boa fama e imagem”, sentenciou o juiz, condenando a CESP a indenizar o trabalhador.

  Categorias: