CS 2011: Sinergia CUT entrega pauta para o Rede Energia

CS 2011: Sinergia CUT entrega pauta para o Rede Energia
18 março 18:57 2011 Lílian Parise

Em seguida, Sindicato e empresa fecham metas da PPR 2010. Segunda parcela será paga no próximo dia 31

Dirigentes do Sinergia CUT e representantes da direção do Rede Energia participaram de duas reuniões na última quinta-feira (17), em São Paulo. No primeiro encontro, o grupo recebeu oficialmente a Pauta de Reivindicações dos trabalhadores, aprovada em assembleias realizadas em todas as empresas.

A data base da categoria é 1º de abril e as reivindicações foram encaminhadas para garantir emprego e renda, trabalho decente, organização sindical e desenvolvimento sustentável, eixos da Campanha Salarial 2011 reunidos sob o mote “A Gente Quer Mais”. Dentre as reivindicações econômicas estão aumento real de salários e benefícios.

Saldo da PPR sai em março

O segundo encontro teve como pauta as metas apuradas para o pagamento da PPR e os valores que os trabalhadores de cada empresa e do corporativo do Rede Energia têm direito a receber. Vale lembrar que a primeira parcela da PPR – no valor de R$ 850 – foi paga em agosto do ano passado.

Durante duas horas de reunião foram apresentadas as metas apuradas e os valores devidos e diferenciados por empresa. A média negociada da PPR é de R$ 2.250, sendo 85% iguais para todos e R$ 15% referentes à folha de pagamento, podendo chegar a até 20%. As metas acordadas eram DEC (peso de 25%), FEC (25%), Arrecadação (25%) e Índice Abradee (25%).

As metas apuradas e os valores que serão pagos por empresa e para o pessoal do corporativo são os seguintes:

  • CAIUÁ (95,65%) = R$ 1.829,00 + 19% sobre salário
  • EDVP (114%) = R$ 2.180,00 + 19% sobre salário
  • EEB (108,95%) = R$ 2.083,00 + 19% sobre salário
  • CNEE (111,04%) = R$ 2.123,00 + 19% sobre o salário
  • CFLO (115,30%) = R$ 2.205,00 + 19 % sobre o salário
  • CORPORATIVO (108,99%) = R$ 2.084,00 + 19% sobre o salário

O pagamento da segunda parcela será depositado no próximo dia 31. Vale lembrar que, além da antecipação de R$ 850, será descontada a taxa negocial dos trabalhadores que não encaminharem carta de oposição ao Sindicato.

  Categorias: