Sem aumento real, proposta da Potencial é rejeitada

Sem aumento real, proposta da Potencial é rejeitada
25 março 16:31 2011 Cecília Gomes

Nova rodada deve ser realizada na quinta (31). Acompanhe as assembleias informativas!

O Sinergia CUT rejeitou na mesa de negociação a proposta apresentada pela Potencial na segunda rodada, realizada no último dia 23. Isso porque a empresa insistiu, mais uma vez, no dicurso sobre o equilíbrio de mercado e necessidade de melhoria nos contratos de prestação de serviços com as empresas do setor.

O Sinergia CUT reafirmou o que já havia sido apresentado na primeira rodada: os trabalhadores da Potencial querem aumento real significativo nos salários e benefícios (não apenas a reposição salarial de 6,26% pelo ICV Dieese), melhores condições de trabalho, na PLR e no Plano de Saúde. A empresa também insiste na manutenção da vigência do ACT por um ano. Diante da rejeição da proposta, nova rodada deve acontecer na quinta (31).

 Grande parte da reunião teve como assunto a PLR e o novo modelo para Plano de Saúde, com a proposta de alterar a cláusula do ACT vigente que garante gratuidade no Plano de Saúde para aproximadamente 40% dos trabalhadores.  Além disso, a empresa informou que entre as mudanças propostas para co-participação está o pagamento de R$ 20 para cada consulta extra, após o primeiro atendimento. O Sindicato chamou a atenção dos negociadores para a necessidade de muito debate antes da implementação de qualquer mudança no funcionamento do Plano de Saúde.

A proposta da empresa para PLR é a de reajustar o valor global de acordo com o reajuste dos salários e benefícios, alterando o período de medição de janeiro a outubro de 2011, considerando os meses de novembro e dezembro como meta atingida. Além disso, propôs mudança na data do pagamento de julho para novembro de 2011.  O Sindicato reafirmou a necessidade de uma comissão de trabalhadores para debater a PLR, após à negociação da data-base.

  Categorias: