CPFL: Duas rodadas para nada??

CPFL: Duas rodadas para nada??
26 maio 12:26 2011 Cecília Gomes
CPFL tenta enrolar negociação e usa revisão tarifária como desculpa para não avançar. Na mesa, representantes da empresa não cansaram de repetir: ‘mão de obra tem limite’

 

A segunda rodada de negociação, realizada na manhã desta terça (24), terminou sem nenhuma proposta em relação às reivindicações dos trabalhadores. A CPFL Energia tentou enrolar o processo de negociação, pautando as novas regras da revisão tarifária para desviar o foco da reunião.

Os representantes da empresa limitaram-se a informar que as pautas de todos os sindicatos foram recebidas e que estão sendo analisadas para discussão na próxima rodada de negociação, agendada para o próximo dia 31 às 10h, na sede da empresa.

Papo tartaruga
Para o Sinergia CUT a CPFL tem intenções de dificultar avanços nas rodadas ao utilizar as novas regras de revisão tarifária como desculpa para não atender a pauta de revindicações dos trabalhadores. Isso porque o Sindicato acompanha todas as discussões sobre revisão tarfária de todas as empresas que têm concessão no estado de São Paulo, desde o primeiro ciclo. “Estranhamos essa postura da CPFL pois em 14 anos de privatização, a empresa quintuplicou seu patrimônio tendo rentabilidade recorde, repassando 95% dos lucros para o ‘bolso’ dos acionistas. Nesse período, a CPFL Energia nunca apresentou os números da revisão tarifária para que os trabalhadores pudessem dividir a rentabilidade da empresa.
Agora, com a possibilidade de alterar a metodologia, a empresa se utiliza desse argumento para antecipar aos trabalhadores que não poderão conceder os reajustes reivindicados na pauta em virtude da revisão tarifaria”, afirma a direção do Sinergia CUT.

É tempo de ousadia para ampliar ganhos reais na CS 2011
Durante esta semana o Sindicato realiza assembleias em todos os locais de trabalho. Pelo cenário traçado nas duas primeiras rodadas, somente com a mobilização de todos será possível conquistar avanços nesta Campanha Salarial, porque está bem claro o jogo que a CPFL Energia quer fazer: oferecer o mínimo do mínimo.

O Sinergia CUT repudia a campanha de setores da mídia, do empresariado e do próprio governo que têm expressado  em reiteradas declarações que o movimento sindical deve moderar durante as campanhas salariais. Os salários dos trabalhadores não podem ser penalizados, como tenta fazer a CPFL ao afirmar diversas vezes na mesa de negociação que “mão de obra tem limite”.

O Sindicato tem a convição, pelos números apresentados pela própria empresa (veja no quadro ao lado), de que o momento é favorável para uma boa Campanha Salarial. Sem luta, os salários não serão valorizados.

Por isso, caso a negociação com CPFL não avance na próxima rodada, o Sindicato irá propor um plano de lutas.  Participe, porque a gente quer mais!

Enquanto isso…

No jornal direcionado aos acionistas da CPFL as notícias são muito positivas: R$ 1,3 bilhão de dividendos referente ao resultado de 2010 foram distribuídos aos acionistas.Isso sem falar no financiamento de R$ 972 milhões junto ao BNDS!
Para os trabalhadores não há recursos para melhorar reajustes e cláusulas do ACT, mas para os acionistas a realidade parece ser outra. Diz o jornal: “Desde o IPO da empresa em setembro de 2004, a CPFL Energia já distribuiu R$ 7,6 bilhões”. 
Os trabalhadores também querem ver a cor desse dinheiro na CS 2011!

  Categorias: