CESP: abaixo-assinado pelo pagamento imediato da PRR 2010

CESP: abaixo-assinado pelo pagamento imediato da PRR 2010
27 maio 17:27 2011 Lílian Parise

Sindicato convoca novas assembleias na segunda (30) para debater outros grandes problemas impostos pelo governo do PSDB. Paralisação não está descartada

Trabalhadores da CESP em todo o estado de São Paulo participam, na próxima segunda-feira (30), de assembleias convocadas pelo Sinergia CUT para cobrar principalmente o pagamento imediato da PRR (Política de Remuneração por Resultados) 2010, ainda não efetuado por omissão do governo do PSDB, além de  reivindicar a solução de vários problemas por parte da direção da geradora.

Vale lembrar que trabalhadores de outras estatais já receberam a PRR e o Sindicato já encaminhou várias correspondências ao presidente da CESP, ao secretário Estadual de Energia e ao presidente do Codec (Conselho de Defesa dos Capitais do Estado) para reivindicar o pagamento imediato da PRR. Sem sucesso.

“Alertamos que não vamos mais esperar, já que o benefício é direito dos trabalhadores, as metas já foram cumpridas e até o momento o governo do PSDB não se manifestou”, afirma Gentil Teixeira de Freitas, presidente do Sindicato dos Eletricitários de Campinas/Sinergia CUT. “Informamos inclusive que realizaríamos assembleias em todas as localidades para aprovar um plano de luta para pressionar o pagamento. Mas, como última tentativa de pressão antes disso, vamos colher assinaturas dos companheiros em abaixo-assinado pelo pagamento já. Se nada acontecer rapidamente vamos preparar a paralisação da companheirada”, completa.

Mudança de jornada e horas in itinere

O recado da possibilidade de paralisação foi dado à direção da CESP durante reunião realizada na última quinta-feira (26), em São Paulo, solicitada com urgência pelo Sinergia CUT após denúncias de que a empresa estaria mudando a jornada de trabalhadores da Usina Sérgio Motta, e inclusive com alteração do trajeto de ônibus, com o objetivo de eliminar o pagamento das horas in itinere.  

O Sindicato reivindicou que a CESP suspendesse as mudanças e abrisse negociação para solucionar o problema. A empresa recusou essa proposta, afirmou que irá reavaliar o trajeto do ônibus, mas informou que até lá o roteiro será o que foi divulgado em comunicado interno. Disse ainda “não ter nenhuma condição” de alterar de mudar de posição quanto à alteração da jornada de trabalho.

Diante disso, as assembleias de segunda (30) também vão discutir o problema com os trabalhadores e decidir o que fazer para garantir as horas in itinere, analisando inclusive a possibilidade de ação judicial.

A pauta das assembleias inclui ainda problemas com o PEA (Programa Especial de Aposentadoria) e o adicional de periculosidade para os trabalhadores admitidos recentemente.

Participe do abaixo assinado  

O Sinergia CUT quer recolher o máximo de assinaturas de trabalhadores de todas as usinas e localidades da CESP para encaminhar o documento o mais rápido possível à direção da geradora e representantes do governo do PSDB, pressionando o pagamento da PRR 2010 já.

Confira o texto: “Nós, trabalhadores da empresa CESP, abaixo assinados, vimos, mui respeitosamente, solicitar o imediato pagamento da PRR – Política de Remuneração de Resultados 2010, tendo em vista que todas as metas tendo em vista que todas as metas acordadas entre empresa e trabalhadores foram cumpridas.”

Assine embaixo. A participação de todos é muito importante.

  Categorias: