AES Tietê: cinco trabalhadores demitidos são reintegrados por ordem judicial

30 junho 11:56 2011 Débora Piloni

Juiza determina volta ao trabalho a cinco trabalhadores demitidos arbitrariamente em novembro passado

Uma vitória dos trabalhadores! Nesta última quarta (29), o Sinergia CUT recebeu a informação de que ganhou, em parte, uma ação judicial movida pelo Sindicato contra a AES Tietê solicitando a reintegração de trabalhadores que foram arbitrariamente demitidos no final de 2010.

A ordem judicial é da juíza Ludmilla Ludovico Evangelista Rocha, da 6ª Vara do Trabalho de Campinas, que determinou a reintegração de cinco trabalhadores: “Julgo Parcialmente procedentes os pedidos postos na petição inicial, e reconheço a nulidade das rescisões contratuais de Antônio Flávio Dinalli Martin, Aloisio Negrão Freire, Silvio Antônio Carneiro, Carlos Alberto Ruzzon e Zenildo José Ferreira, determinando que a reclamada, AES Tietê S.A., reintegre os trabalhadores mencionados, no prazo de 5 dias, a contar da ciência desta decisão, sob pena de incidência de multa diária por empregado de R$ 1.000,00, em favor dos substituídos, independentemente do trânsito em julgado da decisão, até o cumprimento da ordem judicial.”

A empresa foi condenada também a “pagar remuneração vencida da data da ruptura contratual até a efetiva reintegração, incluindo 13º salário, férias +1/3, FGTS, contribuições à Fundação CESP”.

Referente aos demais seis dispensados que fazem parte da ação, a juíza indeferiu o pedido de reintegração em função dos mesmos ocuparem cargos de confiança (“gerentes”). O Sinergia CUT não concorda com essa condição e vai recorrer.

Apesar disso, para a direção do Sindicato, a reintegração dos cinco trabalhadores já representa uma vitória. “Tais demissões promovidas pela AES Tietê demonstraram total falta de responsabilidade com seus trabalhadores, pois afetaram diretamente o clima organizacional dentro da empresa, precarizando as condições e ambiente de trabalho. Vamos continuar lutando pelo retorno ao trabalho dos demais seis companheiros dispensados”, afirma Gentil Teixeira de Freitas, presidente do Sindicato dos Eletricitários de Campinas/Sinergia CUT.

  Categorias: