Paralisação do Sistema Eletrobras em Campinas reúne 100 Trabalhadores

Paralisação do Sistema Eletrobras em Campinas reúne 100 Trabalhadores
20 julho 15:36 2011 Cecília Gomes

Um ato foi realizado na sede da Subestação de Furnas em Campinas nesta quarta (20). Trabalhadores continuam mobilizados nesta quinta (21) na paralisação de 48h.

Cerca de 100 trabalhadores compareceram à subestação de Furnas em Campinas, na manhã desta quarta (20), para pressionar a direção do Sistema Eletrobras a retomar o processo de negociação e atender a reivindicação da categoria por reposição da perda da massa salarial, aumento real nos salários e benefícios, entre outros pontos.

Os trabalhadores de Furnas das localidades de Campinas, Pedregulho (Usina de Estreito), Araraquara e Itapeva/Itaberá, integram a mobilização nacional, que segundo informações do Coletivo Nacional dos Eletricitários, chega a 95% de paralisação em todo o país.

Nesta quinta (21), a categoria sairá às ruas de Campinas, partindo do Largo do Pará às 10h, seguindo até a sede do Sinergia CUT (Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo). A ação tem como objetivo mostrar à sociedade que os eletricitários do Sistema Eletrobras não concordam postura do governo federal de não garantir ganho real de salário, justamente à categoria que trabalha com item essencial à vida e à atividade econômica. Entre as reivindicações estão também a distribuição linear de PLR, unificação dos benefícios, com gratificação de férias igual para todos, unificação da jornada de trabalho no Sistema Eletrobras e auxílio educacional.

Histórico CS 2011

Não é a primeira paralisação dos trabalhadores das empresas do Sistema Eletrobras. No início de junho, nos dias 06 e 07, a mobilização nacional com paralisação por 48 horas fez com que a Eletrobras reabrisse as negociações. Isso porque a direção anunciava que os eletricitários deveriam ‘pegar ou largar’       a proposta ‘final’ com reajuste salarial de 6,51%, sem aumento real. Diante da paralisação, a holding voltou atrás e anunciou a retomada das negociações.

Apesar do compromisso pela reabertura, a Eletrobras solicitou o cancelamento às vésperas da quarta rodada, agendada para o último dia 13 de julho. A resposta da categoria ao descaso da direção do Sistema Eletrobras será a paralisação.

Na quinta passada (14), os dirigentes do Sinergia CUT aproveitaram a visita do presidente de Furnas Flávio Decat à Subestação de Campinas para expor a preocupação com a condução do processo negocial do ACT 2011/2012.

“Queremos discutir todas as cláusulas das pautas nacional e específica. Aumento real e abono são as principais reivindicações do pessoal de Furnas. Mas além disso, existem pontos importantes, que não geram custos às empresas, que queremos abordar. Mas para isso é necessário uma mudança no processo para que de fato possamos estabelecer um processo de negociação.”, explicaram os dirigentes sindicais ao presidente de Furnas.
Em função das argumentações apresentadas pelos dirigentes do Sinergia CUT, o Presidente Flávio Decat, o Diretor de Gestão Corporativa Luiz Fernando Paroli e o assessor de relações Sindicais, Luiz Carlos Abranches, comprometeram-se em buscar uma alternativa junto a Eletrobras para desemperrar o processo negocial.

  Categorias: