Finalmente, Sinergia CUT e CPFL Energia assinam os três Acordos Coletivos

Finalmente, Sinergia CUT e CPFL Energia assinam os três Acordos Coletivos
09 agosto 19:08 2011 Lílian Parise

Acordos Coletivos garantem trabalhadores de todas as empresas e da holding. Cartas de oposição à taxa negocial aprovada em assembleias devem ser entregues até o próximo dia 19

Finalmente, depois de muita negociação, várias assembleias, idas e vindas para acerto das redações finais, representantes da CPFL Energia e dirigentes do Sinergia CUT assinaram, na tarde desta terça-feira (09), três Acordos Coletivos de Trabalho que são a garantia dos trabalhadores até 2012.

Os Acordos Coletivos assinados garantem os trabalhadores da CPFL Jaguariúna, da CPFL Piratininga e da CPFL Paulista, Geração e Brasil, que agora abrange também a CPFL Energia. Todos foram aprovados por ampla maioria em assembleias realizadas pelo Sinergia CUT em todas as localidades da holding.

CPFL Jaguariúna

Vale lembrar que o ACT da CPFL Jaguariúna só foi aprovado depois de rejeição de uma proposta final das empresas – com reajuste parcelado – em meados de junho e da reivindicação de reabertura já da negociação. A pressão do Sindicato e dos trabalhadores garantiu então a oitava rodada para arrancar avanço.

A nova proposta negociada foi aprovada em novas assembleias, já que a forma de aplicação do reajuste salarial de 7,04% garantiu pagamento à vista e retroativo a 1º de abril, data base das empresas da CPFL Jaguariúna. Os 13,5% de aumento no VA e no VR continuam parcelados – 8,5% desde abril passado e 5% a mais em janeiro do ano que vem.

O novo ACT da CPFL Jaguariúna é válido para os trabalhadores da Jaguari, Sul Paulista, Leste Paulista e Luz e Força de Mococa, inclusive o pessoal das cidades do sul de Minas Gerais.

CPFL Piratininga e CPFL Paulista, Geração e Brasil, além da CPFL Energia

Nas demais empresas da holding, que têm data base em 1º de junho, a proposta final negociada foi aprovada em assembleias realizadas no final de julho, garantindo 7,8% nos salários – 7,21% de reajuste mais 0,55% de aumento real – , 11% no VA e 8,27% no VR, além de outras conquistas econômicas e manutenção de cláusulas sociais. Os reajustes também já estão sendo pagos retroativamente desde a aprovação nas assembleias.

Para Gentil Teixeira de Freitas, presidente do Sindicato dos Eletricitários de Campinas e tesoureiro do Sinergia CUT, valeu a espera. “Foram muitas negociações, várias mobilizações, dezenas de assembleias, além de idas e vindas para acertar a redação final para garantir que os três Acordos Coletivos refletissem exatamente o que foi negociado na mesa. Finalmente agora tudo está assinado e garantido até o ano que vem”, avalia o dirigente.

Taxa negocial

Vale lembrar que, com a assinatura dos novos Acordos Coletivos, está aberto o prazo de dez dias para a entrega da carta de oposição à taxa negocial, também aprovada em assembleias. As cartas de oposição devem ser entregues pessoalmente na sede ou nas macros do Sinergia CUT a partir desta quarta-feira (10) e até o próximo dia 19, das 9h às 12h e das 14h às 17h30.

  Categorias: