AVAP e Nova Rio: trabalhadores negociam pauta de reivindicações

13 setembro 12:13 2011 Elias Aredes Junior

Reunião aconteceu no dia 05 de setembro. Expectativa fica agora pelo retorno das empresas

O Sinergia CUT esteve entre as entidades sindicais que participaram no último dia 05 da rodada de negociação para os trabalhadores da Nova Rio e Avap. Após a leitura das cláusulas que se constituem como alvo de negociação, os representantes dos trabalhadores não ficaram em cima do muro e fizeram questão de enumerar os pontos prioritários, que são os seguintes:


– Manutenção das cláusulas já conquistadas no ACT 2010/2011; reajuste de 6,51 % (IPCA Pleno) mais 1,5% de ganho Real, retroativo a Maio de 2011; 13 Talonários/Ano de Tícket Alimentação reajustados com o índice supracitado, retroativo a Maio de 2011; Abono de quatro talonários de tíckets já reajustados, além de auxílio Educação de R$ 372,79, cujo valor seria após apurado após reajuste de 6,51 % retroativo a Janeiro de 2011. Na questão da progressão de mérito, existe a perspectiva de aplicação ainda para em 2011.

 Mas é preciso avançar. As entidades sindicais esclareceram a necessidade da concessão de uma mensalidade para aquisição de material escolar ou de uniforme aos dependentes matriculados

em escolas públicas, ou para aqueles que estão com bolsa escolar integral em instituição de ensino privado nos meses de fevereiro e julho de cada ano;

 Durante a reunião, outras cláusulas foram reivindicadas pelos trabalhadores. Confira:

 – Implementação do Auxílio Funeral no valor de R$ 3.500,00 por titular e dependentes;

– Atualização da Base de Cálculo da Insalubridade, retroativo a Janeiro de 2011;

– Reajuste da Tabela do Auxílio Óculos em 6,51 %;

– Reajuste do quilômetro rodado na Função Acessória em 6,51 %;

– Solicitamos também a implementação urgente de cláusulas que constam no termo de compromisso do ACT 2010/2011, como: Inserção de Dependentes no plano de Saúde,

– Reembolso de Medicamentos, Convênio com a Caixa Econômica Federal, Exames periódicos com qualidade,

 – Direito de Informações Profissionais, Convênios com Escolas Técnicas e o Complemento Auxílio Doença;

– Análise de possibilidade de pagamento da PLR a título de uma Gratificação Especial e

o pagamento do ATS – Adicional por Tempo de Serviço (1 % por ano trabalhado);

 No final do encontro, os representantes das empresas afirmaram que para algumas cláusulas da pauta de reivindicações será necessária a montagem de ofícios para que sejam encaminhadas às diretorias das duas empresas.

Apesar da complexidade da negociação, os dirigentes sindicais, entre os quais os dirigentes do Sinergia CUT, afirmaram que existe necessidade urgente de aprovação da proposta pois a data base ocorreu no mês de Maio. Agora, a expectativa fica em aguardar a resposta das duas empresas para as reivindicações. Aguardemos.

  Categorias: