Direção da CESP dá mau exemplo…

Direção da CESP dá mau exemplo…
19 setembro 10:20 2011 Débora Piloni

Quase uma hora em trânsito até a chegada ao trabalho, na ida e volta do almoço e no retorno para casa após expediente. Essa é a atual rotina dos trabalhadores da CESP que foram transferidos da Usina de Três Irmãos para o Almoxarifado, em Ilha Solteira. O pior é que o percurso rotineiro poderia ser bem menor, se a intransigência e a falta de coerência não fossem características da direção da geradora. 

Segundo informações que chegaram ao Sindicato, diariamente os trabalhadores saem de Ilha Solteira no ônibus da empresa e seguem para a Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira. Depois, seguem de Van para o Almoxarifado.

 Na hora do almoço fazem o mesmo percurso de volta: de Van até a usina, de ônibus até a cidade. No retorno, de ônibus até a usina e de Van até ao Almoxarifado. No final do dia, lá vão de novo!

E, por decisão do presidente da CESP Mauro Arce, todo esse tempo gasto em percurso é feito somente porque o Sindicato entrou com processo na Justiça de horas in itinere (o tempo gasto pelo trabalhador até o local de trabalho de difícil acesso ou não servido de transporte público).

 Se tempo é dinheiro…

… “o desperdício está sendo duplo”, avalia a direção do Sinergia CUT.

Isso porque, além de fazer com que os trabalhadores permaneçam grande parte do tempo da jornada  em percurso, o presidente da CESP parece estar gastando dinheiro público ao disponibilizar uma Van exclusivamente para o transporte feito entre a Usina até ao Almoxarifado, sendo que há vagas no ônibus que segue diretamente de Ilha Solteira até ao Almoxarifado, sem passar pela Usina em Ilha Solteira. 

“São uns 60 km a mais percorridos diariamente e tempo de trabalho perdido nesse percurso”, observa Gentil Teixeira de Freitas, presidente dos Eletricitários de Campinas (Stieec).

 O Sindicato já procurou o presidente da CESP para tratar sobre esse assunto, mas Mauro Arce não se dispôs a negociar horas in itinere. Mais: ele condicionou uma possível negociação à retirada da ação na Justiça. Lamentável. O Sinergia CUT continua na luta para garantir o direito dos trabalhadores.

  Categorias: