Sinergia CUT e AES Tietê discutem PLR e pendências do ACT

29 setembro 19:13 2011 Lílian Parise

Em reunião realizada na manhã desta quinta-feira (29), Sindicato e empresa retomam negociações compromissadas na Campanha Salarial

 Dirigentes do Sinergia CUT participaram, na manhã desta quinta-feira (29), em São Paulo,  de mais uma reunião com representantes da AES Tietê para buscar soluções aos problemas que afetam os trabalhadores e que se transformaram em pendências do processo negocial da Campanha Salarial deste ano.  

Fechado o Acordo Coletivo 2011-2013, o Sinergia CUT cobrou da AES Tietê solução para o Plano de Saúde. A empresa informou que já solicitou à Fundação CESP que elabore uma proposta de um plano de saúde vitalício.

Os interlocutores do Sindicato também solicitaram rapidez para a conclusão das reuniões referentes à Saúde e Segurança dos trabalhadores nas usinas de Promissão, Nova Avanhandava, Água Vermelha e Pardo, como já aconteceu em relação ao pessoal de Ibitinga, Bariri e Barra Bonita. “A Área de Recursos Humanos da geradora ficou de enviar ao Sindicato uma proposta de data para dar continuidade à programação, o mais urgente possível”, informam os dirigentes sindicais.

PLR 2011

Diante da demora da AES Tietê em apresentar uma proposta satisfatória de modelo e valor de PLR para avaliação dos trabalhadores, o Sindicato propôs manter para 2011 o mesmo formato – metas, indicadores e energia assegurada – do ano passado, ficando para negociação somente o valor do benefício.

A proposta do Sinergia CUT foi aceita pela empresa que agendou reunião específica para analisar os números apurados até o mês de setembro. Essa reunião acontecerá no dia 13 de outubro próximo, com a participação da Comissão de Acompanhamento de PLR, além de Sindicato e empresa. Depois disso, no dia 17 de outubro, Sinergia CUT e AES Tietê têm nova reunião para negociar o valor da PLR 2011 que, posteriormente, será levado para deliberação dos trabalhadores.

A empresa também assumiu o compromisso de apresentar uma proposta para a PLR 2012, inclusive com valores definidos, até meados de novembro próximo. Essa proposta também será avaliada em assembléia da categoria.  

Denúncia ao MPT

Na tarde do mesmo dia, o Sinergia CUT decidiu encaminhar denúncia ao Ministério Público do Trabalho (MPT) sobre a política de Tolerância Zero da AES Tietê, que impõe punições aos trabalhadores que, direta ou indiretamente, se envolvem em acidentes de trabalho.

“Segundo denúncias que chegam ao Sindicato, a punição pode ser inclusive a demissão do trabalhador, demonstrando claramente a prática de assédio moral na questão de segurança no trabalho”, alertam os dirigentes do Sinergia CUT.

  Categorias: