Sem ‘superelétrica’, Previ escolhe CPFL

30 setembro 10:01 2011 Valor Econômico, 29/09/2011

Sem poder criar uma “superelétrica” unindo Neoenergia e CPFL, a Previ optou por sair de uma delas e transferir o controle da Neoenergia para o grupo espanhol Iberdrola. Agora, tudo indica que a fundação vai voltar seus esforços no setor elétrico para reforçar o caixa da CPFL, o grande ativo que lhe resta. A engenharia do negócio, em fase de gestação, pode envolver troca de ativos entre Previ e Iberdrola, uma vez que o grupo espanhol pode não dispor de capital suficiente para desembolsar R$ 6 bilhões na compra de 21% a 26% dos 29% ofertados pelo fundo de pensão. Um trunfo da Iberdrola na operação seria oferecer à Previ a distribuidora paulista Elektro, avaliada em R$ 3,8 bilhões pelo mercado. O BNDES pode ser chamado a entrar do negócio, já que o Banco do Brasil, com 15%, também deixará a empresa.


  Categorias: