Subsede da CUT Campinas entrega pauta de reivindicações para prefeito do município

10 outubro 11:18 2011 Débora Piloni

“Tratar de melhorias nas condições de vida e trabalho da população de Campinas”. Esse foi o objetivo da Subsede da CUT Campinas ao entregar ao prefeito Demétrio Vilagra a pauta de reivindicações da central.

O encontro, que reuniu lideranças cutistas e políticas da cidade e região, aconteceu na manhã desta segunda (10), no Auditório 10 de Maio, na sede do Sindicato dos Eletricitários de Campinas (Stieec/Sinergia CUT).

A Pauta foi elaborada durante a Plenária da Subsede da CUT Campinas com os sindicatos filiados, ocorrida no dia 27 de setembro passado. Confira abaixo os principais itens da Pauta elaborada pela CUT:

1- Ações para a Saúde

A CUT é contra as terceirizações é contra o sucateamento da saúde pública e a contratação através de Organizações Sociais, nesse sentido é fundamental que cesse todo e qualquer processo que terceirize o serviço público e rediscuta uma nova pauta que atenda as reivindicações por
melhorias no atendimento e gestão da saúde.

Não aceitamos a falta de medicamentos, materiais de trabalho e falta de profissionais nas unidades básicas de saúde, não aceitamos prédios sem condições de atendimento como o PA centro, precisamos urgentemente de concurso público que supra a necessidade de profissionais que segundo o RH da saúde são mais de 1500.

Precisamos não só debater essas melhorias mas também a gestão da pasta que pode comprometer o governo na busca de soluções para a saúde pública.

Pedimos a saída do Secretário da Saúde 

CEREST – o desmonte do CEREST vem ocorrendo de forma desumana e proposital com o intuito claro da extinção do Centro de Referência , lembrando em tempo que esse CEREST é referência em toda a região metropolitana de Campinas. Contudo o desmonte do CEREST, é um grande desrespeito aos profissionais que atuam nesse órgão e principalmente com os trabalhadores e trabalhadoras.

A CUT reivindica a imediata providência da secretaria de saúde no atendimento das reivindicações dos trabalhadores do CEREST, completar o quadro de funcionários necessários ao pleno atendimento a saúde do trabalhador e a imediata liberação dos recursos destinados ao centro.

Discutir pauta específica para a Saúde nas Campanhas Salariais e “diálogos permanentes” que vierem a ter com a Prefeitura.

2 – Ações no Combate ao Racismo

Construir um recorte diferenciado para a questão racial na cidade  juntamente com o movimento negro constituído.

Pedimos a saída do coordenador da CEPIR. O Coordenador não está  acompanhando a pauta dos Movimentos de Combate ao Racismo da cidade, para tanto há  necessidade da saída do mesmo.

Participação na escolha do processo do novo coordenador.

Implantar a lei 10639 (sobre a historia da África e disponibilização  de material didático nas escolas

Instalar o Comitê Técnico da Saúde da população negra – portaria  992/2009 do Ministério da Saúde

Na secretaria de trabalho e renda -elaborar projeto para frente de  trabalho para a população negra

3 – Ações para a Educação

Reconhecer a APEOSP nas negociações , que tem muito a contribuir com a melhoria da educação;

A aceitar a pauta de reivindicações deste sindicato para melhoria na  educação municipal e conseqüentemente na vida das milhares de crianças e adolescentes que  fazem uso da escola pública municipal.

Discutir pauta específica para a Educação nas Campanhas Salariais e  “diálogos permanentes” que vierem a ter com a Prefeitura.

4- Ações para a Comunicação

Criação do Conselho Municipal de Comunicação;

Discussão de um projeto Inclusão digital e banda larga gratuita para  todos.

5- Ações para a Juventude

 Criação do Conselho Municipal de Juventudes.

6- Ações para o Serviço Publico

Audiência publica para discutir a precarização no fornecimento de  energia elétrica , buscar alternativas no atendimento á população;

Facilitar à população locais de pagamento das contas.

Investimento na capacitação Profissional

7 – Ações para os Trabalho Informal e Urbanização

Reconhecimento dos catadores de recicláveis;

Fomentar cooperativas de trabalhadores e trabalhadoras de recicláveis  para que não sejam explorados e oprimidos pelas chamadas “coopergatos”;

Reconhecer o Sindicato dos Trabalhadores e trabalhadoras Informais,  abrindo canal de discussão para a organização dos mesmos de maneira formal e  contribuindo para o município;

Agilização na aprovação ou rejeição dos projetos de obras pelo  departamento de urbanismo.

8 – Ações para as atividades da CUT

Garantir agilidade ás reivindicações da CUT para assegurar a  infra-estrutura necessária para realização de atos e manifestações da central, que tem sempre o intuito  de informar e orientar a população dos acontecimentos nos âmbitos municipais, estadual e federal.

Por todas essas razões expostas, entendemos que há a necessidade de um  diálogo permanente entre o poder público e os movimentos sociais da cidade, onde  com certeza o debate enriquecerá as ações que virão a contribuir com a melhoria no  atendimento a toda a população.

9 – Respeito ao trabalhador e trabalhadora

A PMC deve respeitar e zelar pelas boas relações de trabalho, inclusive  nas empresas ligadas a prefeitura. A CUT não aceita que empresas como  IMA, Sanasa, EMDEC, etc tratem com desrespeito seus trabalhadores,  citamos como exemplo negativo a IMA onde seu próprio Presidente comete  assedio moral contra os trabalhadores e inclusive vários trabalhadores  já foram afastados por depressão.


  Categorias: