Diretor Administrativo da Eletrobras marca reunião e não comparece

30 novembro 09:00 2011 CNE

A postura do Coletivo Nacional dos Eletricitários durante as negociações com a Direção da Eletrobras, seja no período de discussão do ACT, ou, de outro assunto de interesse da categoria, foi pautada pelo respeito aos compromissos firmados. Sempre que solicitado jamais nos negamos a comparecer as reuniões, mesmo com esforço devido aos gastos que elas representam para os sindicatos. Porém, a recíproca da Eletrobras em vários momentos não foi igual, pois em diversas ocasiões desmarcavam sem critérios reuniões e negociações com os/ as trabalhadores/as.
 
Esse fato voltou acontecer no dia 23 de novembro em Brasília, quando estava marcada uma reunião com o Diretor de Administração da Eletrobras que simplesmente não apareceu para debater temas fundamentais para os trabalhadores, como a PLR, Conselho de Administração, tratamento isonômico do Governo que tange ao ganho real conquistado por outras categorias.
 
O CNE lamenta que nesse momento de grande importância de discussão de uma pauta ampla para os/as trabalhadores/as a direção da empresa não compareça para debater com os trabalhadores.
 
O CNE acredita que sem uma nova mentalidade que seja baseada na seriedade e no cumprimento dos compromissos firmados, tudo ficará como antes, ou seja, palavras sem sentido, de uma direção sem força para lutar e dialogar com seus trabalhadores e trabalhadoras, que apenas diz amém para todas as decisões de Governo.
 
Exige ainda da direção da Eletrobras resposta ao oficio enviado no dia 09 de novembro que cobrava uma posição aos seguintes pontos:
 
Ganho Real– O CNE pleiteia aplicação do ganho real retroativo a maio de 2011 para TODOS (AS) Empregados (as) das Empresas do Sistema Eletrobras sem restrição, considerando o tratamento dado pelo Governo a outras categorias que tiveram data-base posterior a dos Eletricitários, pois as mesmas tiveram tratamento diferenciado positivamente, como por exemplo, os Bancários, Correios, CODEVASP, EMBRAPA, ou seja, tiveram GANHO REAL, sem restrição, nesse sentido pleiteamos ISONOMIA de tratamento, sem prejuízo ao compromisso já acordado e firmado em mesa de negociação.
 
PAGAMENTO DA PLR 2011- O CNE vem REITERAR que por ocasião do pagamento da PLR de 2011, seja feito da seguinte forma: CINQUENTA POR CENTO (UMA FOLHA) LINEAR e CINQUENTA POR CENTO PROPORCIONAL, pois a definição da forma de distribuição da mesma é de única e exclusiva competência da Direção da Eletrobras, não necessitando de autorização “externa”, pois essa é uma dívida moral que a Direção da Eletrobras tem para com os (as) trabalhadoras (as).
 
CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO – Solicitamos também que seja realizado seminário patrocinado pela Eletrobras, aplicado pelos Secretários dos Conselhos de Administração das Empresas com a participação dos representantes da Comissão Eleitoral ( Trabalhadores x Empresas).

PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS
O CNE solicita que seja aplicado, conforme compromisso firmado em mesa de negociação.
 
PORTARIA INTERMINISTERIAL- O CNE solicita à Eletrobras, quando será aplicada a PORTARIA INTERMINISTERIAL, que flexibiliza a movimentação de pessoal, ou seja, permite a Eletrobras ter autonomia no que tange ao gerenciamento do seu quadro de PESSOAL, nos mesmos moldes que tem hoje a Petrobras. Vale lembrar que essa medida é um compromisso político da Eletrobras e do Ministério de Minas e Energia, haja vista que as duas Empresas são do mesmo Ministério.
 
TODOS À LUTA: CAMPANHA EXTRAORDINÁRIA PELO GANHO REAL
 
Neste segundo semestre diversas categorias (petroleiros e bancários ) estão  conseguindo avançar nas suas reivindicações, conquistando ganho real nos salários. Por isso, o comando tem levantado a discussão de uma campanha extraordinária pelo ganho real, que seria uma forma de se fazer justiça com os/as trabalhadores/as do Sistema Eletrobras que foram prejudicados pela interferência do DEST e do Governo durante as negociações do ACT 2011.
 
Para negar o ganho real a categoria no primeiro semestre foram utilizados como argumentos à inflação e a crise internacional, hoje o quadro mostra que a inflação nunca esteve fora de controle e a crise internacional ainda está ai nos noticiários, mais ainda longe de afetar fortemente o país. Ou seja, pagamos “o pato” por uma conjuntura que não construímos.

Estranhamos que esses mesmos argumentos não foram utilizados para pressionar outras categorias que tem a sua data-base no segundo semestre.
 
Portanto, o CNE quer rediscutir com o Sistema Eletrobras essa questão de tratamento, exige isonomia no que diz respeito ao ganho real.
 
Não admite que os trabalhadores sejam tratados como categoria inferior como disse o representante do DEST, pois prestam um serviço essencial à sociedade que é a energia. Sem a força do trabalho a economia rapidamente entra em recessão, como foi o caso do apagão em 2001.
O CNE quer uma reunião de verdade com toda a direção da Holding, sem fugas ou desculpas para discutir uma agenda essencial para os/as trabalhadores/as, como PLR, Eleição nos Conselhos de Administração, e principalmente, o Ganho Real de Salário.
 
Para pressionar a Holding convoca os/as trabalhadores/as para se prepararem para uma grande mobilização, pois logo estarão divulgando calendário de mobilização para lutar pela Dignidade e Respeito aos nossos direitos.

  Categorias: