Todos na luta contra as privatizações no setor elétrico

Todos na luta contra as privatizações no setor elétrico
30 novembro 13:30 2011 Cecília Gomes e Débora Piloni

No próximo dia 12, o Sinergia CUT participa da Audiência Pública na ALESP. Em defesa da renovação das concessões e contra as privatizações no setor elétrico. Entre nessa luta você também. Acesse www.todospelaenergia.com.br e assine o manifesto

“Todos Pela Energia – Privatização não é Solução”. A campanha lançada no dia 18 passado, no município de Paulo Afonso (BA) será relançada na Audiência Pública que ocorrerá na Assembleia Legislativa de São Paulo no próximo dia 12. O evento ocorrerá às 14h, no Auditório Paulo Kobayashi e contará com a participação do Sinergia CUT, da CUT, da FTIUESP (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado de São Paulo), da FNU (Federação Nacional dos Urbanitários), de representantes dos movimentos sociais e de órgãos relacionados, como a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
 
A pauta da audiência abrange vários pontos: tarifa social, iluminação pública, renovação de concessões, competência da ANEEL, ARSESP em relação aos apagões e precarização das condições de trabalho.

Aproveitando a ocasião, o Sinergia CUT realizará junto com a CUT Estadual e a FTIUESP um ato de protesto em frente à ALESP denunciando a precarização das condições de trabalho que as empresas do setor vêm intensificando no último período.

Todos pela energia!

O objetivo principal dessa campanha é pressionar o governo e conquistar a opinião pública em defesa da renovação das concessões no setor de energia elétrica que vencem a partir de 2015 e o cancelamento de qualquer novo leilão de privatização.

O presidente do Sinergia CUT Jesus Francisco Garcia garante que no caso das empresas estatais, maioria neste processo de vencimento, as renovações são o melhor caminho. “No entanto, os trabalhadores das empresas que já foram privatizadas e que sofrem os impactos diretos de processos de reestruturações e precarização, necessitam de uma resposta frente ao vencimento das concessões. Por isso, vamos bater na tecla das contrapartidas e responsabilidade social por parte das empresas”, defende.

A CUT, a FNU e os movimentos sociais também defendem que a renovação das concessões já feitas e o fim dos leilões é a melhor e mais provável forma de impedir novas privatizações e de, no momento da renovação das concessões, inserir novas e mais rigorosas exigências de qualidade do serviço, planos de investimentos em expansão e manutenção por parte das concessionárias, garantia de direitos e de saúde e segurança para os trabalhadores do setor e maior transparência na gestão, o que inclui tarifas mais baratas para a população usuária.

Para conhecer todos os materiais publicitários da campanha e para assinar em defesa do manifesto pela renovação das concessões, acesse www.todospelaenergia.com.br . Participe!

  Categorias: