Três demitidos da CESP estão de volta ao trabalho!

Três demitidos da CESP estão de volta ao trabalho!
15 dezembro 10:30 2011 Débora Piloni e Elias Aredes Junior

Reintegração aconteceu na quarta (14). Sinergia CUT acompanha a ação do Oficial de Justiça na usina em Porto Primavera

Há uma frase que o Sinergia CUT pode e deve sempre usar: “patrão é patrão em qualquer canto. Sindicatos é que são diferentes!”. Na última quarta (14), o Sinergia acompanhou o oficial de Justiça na CESP, na Usina Engenheiro Sergio Motta, em Porto Primavera. Motivo: reintegração de três trabalhadores que foram demitidos arbitrariamente em julho passado. A volta ao trabalho desses companheiros foi possibilitada devido a uma ação judicial movida pelo Sindicato e que foi deferida como tutela antecipada no último dia 09 de dezembro. Mais uma vitória dos trabalhadores!

Assim, o representante sindical Benedito José da Silva e os outros dois companheiros – Pedro Cordeiro e Antonio Sérgio Machado Ribeiro -, foram oficialmente reintegrados no dia 14 por ordem judicial da juíza Luciana Caplan de Argerton e Queiroz, da Vara do Trabalho de Teodoro Sampaio.

As ações movidas pelo Sindicato e que foram deferidas por tutela antecipada são fundamentadas no argumento de que, ao realizar tais demissões, a empresa agiu de forma discriminatória, uma vez que dispensou injustamente trabalhadores que haviam ganhado a ação para a incorporação da “sexta-parte” (após 20 anos de trabalho, o trabalhador teria direito a mais 1/6 do valor de seu salário).
Confira trechos da decisão da juíza:

“ (…) Observa-se que os três reclamantes foram os autores do feito nº 398/2006, que atualmente encontra-se em fase de liquidação e que foram todos despedidos na mesma data(…).. Portanto, há fundado receio de que as rescisões contratuais têm servido como meio de intimidar outros empregados para que não busquem seus direitos em Juízo (…). Isto posto, CONCEDE-SE a tutela antecipada (…) a fim de que o reclamante seja reintegrado ao quadro de pessoal da reclamada. Expeça-se mandado de reintegração, a fim de que seja cumprida a presente decisão, no prazo de 5 dias, sob pena de multa diária de R$500,00, a reverter em favor do reclamante.”

Apesar de essa não ser a totalidade dos demitidos injustamente pela CESP neste ano – mais dispensas ocorreram em diversas localidades da empresa -, para a direção do Sindicato, a reintegração dos três trabalhadores já representa uma vitória.

Tais demissões promovidas pela CESP configuraram-se em ato antissindical, explicitando perseguição, já que a lista incluiu trabalhadores que tinham ações judiciais contra a empresa. Um ato que contraria as convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O Sinergia CUT lutará pelo retorno ao trabalho dos demais companheiros dispensados.


  Categorias: