Economia Solidária

Economia Solidária
12 novembro 10:40 2012 Débora Piloni

Dirigente do Sinergia CUT integra comissão que vai ao Canadá conhecer projeto que está dando certo

Conhecer “in loco” a experiência canadense sobre o desenvolvimento da economia solidária e seus diversos impactos para a economia, a geração de renda, empregos de qualidade e o papel no desenvolvimento do país. Essa foi a missão da delegação brasileira que foi a Montreal, no Canadá, nos dias 31 de outubro a 08 de novembro. Dentre os integrantes da delegação, estava o dirigente do Sinergias CUT Alberto Soares, que foi como membro da Executiva Nacional do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) e representando também a CUT.

Além do Dieese, o grupo era formado por representantes da Unisol (Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários), Fundação Banco do Brasil e do BNDES.

 “Fomos verificar também a possibilidade de assinatura de convênio internacional entre o Dieese e a DSI (Desenvolvimento Solidário Internacional) no sentido de tornar concreto o desenvolvimento dessas experiências no campo da pesquisa, formação, financiamento e governança”, afirmou Soares.

Durante os dias do evento, a delegação conheceu  diversos empreendimentos, e tiveram conhecimento de como foram constituídas, se organizam e operam as entidades responsáveis pelo desenvolvimento da economia solidária no Canadá.
 
A DSI é uma organização da CSN, (Confederação dos Sindicatos Nacionais), com sede em Quebec, constituindo-se como a segunda maior central sindical do Canadá. Vale ressaltar que a CSN conta com 300.000 sócios, em mais de 2800 entidades filiadas. Desenvolve ações de cooperação sindical com trabalhadores, em particular no Brasil com a CUT e fomenta o desenvolvimento da economia solidária e das finanças socialmente responsáveis.
 
“Fui até lá com o intuito principal de conhecer de perto o conjunto de entidades e políticas criadas pela CSN, para o desenvolvimento da economia e das finanças socialmente responsáveis e poder socializar essas experiências e as informações ali coletadas para a direção do Dieese, do Sinergia CUT e da CUT”, afirmou Soares.

A busca, segundo ele, é viabilizar caminhos e alternativas para a consolidação de um projeto de economia solidária, articulado nacionalmente com as centrais sindicais, no qual o Dieese, Unisol, Fundação Banco do Brasil e BNDES, possam ser os elementos constitutivos desse projeto.

O que é Economia Solidária
Segundo definição do Ministério do Trabalho e Emprego, Economia Solidária é um jeito diferente de produzir, vender, comprar e trocar o que é preciso para viver. Sem explorar os outros, sem querer levar vantagem, sem destruir o ambiente. Cooperando, fortalecendo o grupo, cada um pensando no bem de todos e no próprio bem. A economia solidária vem se apresentando, nos últimos anos, como inovadora alternativa de geração de trabalho e renda e uma resposta a favor da inclusão social.


  Categorias: