CS 2013: sobrou choradeira e enrolação na segunda rodada da Elektro

CS 2013: sobrou choradeira e enrolação na segunda rodada da Elektro
29 maio 17:15 2013 Elias Aredes Junior

Empresa não avança nas negociações. Próxima rodada dia 05.

Apesar da disposição de negociação demonstrada pelo Sinergia CUT,  a Elektro não avançou na segunda rodada realizada nesta quarta-feira (30), em Campinas.

Desde o inicio da reunião, as entidades sindicais, entre elas o Sinergia CUT, mostraram disposição em avançar. Infelizmente, a recíproca não era verdadeira.  A empresa disse que a proposta é manter o modelo de 2012 e sem o patamar mínimo garantido de 90% da PLR de 2011. A recusa do Sinergia CUT foi imediata.

Na hora de negociar o atual Acordo Coletivo de Trabalho, a empresa ofereceu 5,5% de reajuste – e mais nada. O Sinergia CUT rejeitou a proposta e reafirmou os pontos que considera prioritários: reposição da inflação, aumento real, melhora na PLR e um reajuste maior no Vale Alimentação e Vale Refeição.

Os demais sindicatos encaminharam como contra-proposta, a reposição da inflação pelo maior índice, acrescido de 2% de aumento real.

Mas não foi o único fato desabonador durante a negociação. O Sinergia CUT obteve a informação de que o presidente da Elektro reuniu-se com trabalhadores e encaminhou uma proposta paralela, com manutenção da fórmula de 2012 e a garantia mínima de 90% da PLR 2011.

  Categorias: