CS 2013: Elektro apresenta pequeno avanço, mas sobram informações desencontradas

CS 2013: Elektro apresenta pequeno avanço, mas sobram informações desencontradas
12 junho 15:41 2013 Débora Piloni e Cecília Gomes

Duas propostas foram colocadas. Próxima rodada será em 01 de julho.

A quarta rodada de negociação da Campanha Salarial 2013 entre Elektro e Sinergia CUT foi marcada por desencontro de informações por parte da empresa. Na manhã desta quarta-feira (12), mais uma vez, a primeira proposta apresentada na mesa – apesar de um pequeno avanço – ficou aquém das expectativas: 5,8% de reajuste nos salários e demais benefícios e de 6% no VA/VR e na Cesta.

A proposta foi rejeitada na mesa e o Sindicato reiterou veementemente a reivindicação dos trabalhadores, que é o ICV Dieese (6,87%) + 2% de aumento real (AR) sobre os salários e demais benefícios; e ICV Dieese de 11,84% (alimentação) + 2% de AR sobre vale alimentação/refeição.

Mas, essa rodada foi marcada por um fato peculiar… É que, logo após a apresentação dessa proposta, as entidades sindicais provocaram um momento de “desconforto” para a negociadora da Elektro. Informaram que o presidente da empresa, Márcio Fernandes, havia dito para vários trabalhadores que a proposta seria de 6,5% de reajuste e garantia de 90% da PLR 2011. Como assim?

Para a direção do Sinergia CUT, com essa atitude, o presidente da Elektro desqualificou a mesa de negociação e queimou a proposta apresentada pelos seus negociadores, estabelecendo, claramente, uma mesa paralela. Lamentável…

Enfim… a proposta da 4ª rodada
A negociação, então, foi interrompida a pedido dos negociadores da empresa e retornou tempo depois da conversa com o presidente. Depois disso é que foi apresentada a “nova proposta” econômica: 6,5% reajuste nos salários e benefícios e garantia de 90% do valor individual da PLR 2011.

Em contrapartida, a Elektro quer que o Sindicato assine a PLR dos Gestores para 2013. Além disso, sem esclarecer com quais intenções, entre as contrapartidas, a empresa quer fazer alteração na escala da linha viva, rediscutir o PEA e fazer alteração no horário de almoço das escalas de revezamento.

A próxima rodada ficou marcada para o dia 1 de julho às 10h.

Pressa para quê?
Analisando o histórico das rodadas anteriores, parece até que a empresa quer encerrar rapidamente a negociação.

Mas, da “melhor empresa para se trabalhar”, os trabalhadores esperam mais. Querem fechar um bom acordo, sem atropelos e o que as rodadas anteriores mostram é que a disposição da Elektro precisa melhorar e muito.

Na primeira rodada, a Elektro sequer apresentou proposta econômica.

Na segunda, sobrou choradeira, enrolação e um mísero índice de reajuste de 5,5%.

Na terceira, esse percentual de 5,5% permaneceu para os salários e demais benefícios e, para o VA/VR, o índice de reajuste foi de 5,8%.

Agora, já na quarta rodada, “tudo mudou”, mas continua precisando melhorar!

Em tempo…A empresa ainda não garantiu a antecipação da primeira parcela da PLR 2013 prevista para julho deste ano.

  Categorias: