CS 2013: na Elektro… a decisão é dos trabalhadores!

CS 2013: na Elektro… a decisão é dos trabalhadores!
16 julho 09:15 2013 Lílian parise e Elias Aredes Jr.

Sem limites, distribuidora inclui assédio moral na rotina de trabalho, impede a livre decisão dos trabalhadores e intensifica prática antissindical. Assembleias a partir desta terça (16)

“A intransigência e a arrogância dos gestores da Elektro ultrapassaram todos os limites principalmente nessa reta final da Campanha Salarial”. A constatação é da direção do Sinergia CUT, fundamentada em inúmeras denúncias de trabalhadores e flagrada nas assembleias realizadas pelo Sindicato até agora em várias cidades.

“A Elektro mente, assedia moralmente, vigia trabalhadores, tenta impedir a livre organização sindical e afronta inclusive princípios que diz adotar”, completa a direção da entidade. Tudo porque os trabalhadores estão aprovando a proposta encaminhada pela direção do Sinergia CUT: rejeitar a proposta econômica para salários e benefícios, deixar as demais  cláusulas para negociação em 2015 e aprovar a proposta de PLR para garantir o pagamento da primeira parcela de 2013 no final de julho.

Contradições
No mundo virtual, a “melhor empresa para se trabalhar” faz propaganda pesada do alto Índice de Felicidade no Trabalho. Mais: informa que “o respeito às pessoas é um dos alicerces da Elektro. Não são tolerados abusos ou desrespeito. A insensibilidade e a arrogância não têm lugar na organização”.

Mas o Sindicato constatou que a teoria na prática é outra. “O assédio moral foi incorporado à rotina de trabalho com insensibilidade, arrogância e abuso. Basta citar as reuniões individuais para pressionar os trabalhadores a assinar documento em que aceitariam a proposta ‘final’ da empresa e a presença de gestores nas assembleias para intimidar a votação da categoria”. Além disso, faz circular internamente informações falsas e planta boatos na tentativa de confundir os trabalhadores.

Tudo junto e misturado, fato é que o resultado da atual gestão da Elektro é a prática de assédio moral e prática antissindical.

Por isso, o Sindicato encaminhou  notificação extrajudicial à direção da empresa solicitando providências imediatas para impedir a prática de “quaisquer atos ou condutas que constituam assédio ou empecilho aos trabalhadores para o exercício de seu direito sindical”.

O Sindicato informou ainda que apresentará “denúncia ao Ministério Público, requerendo a instauração de inquérito para apuração de atos antissindicais até aqui praticados, sujeitos à indenização e apuração de responsabilidades pessoais para tipificação penal, nos termos dos artigos 199 e 203 do Código Penal”.

ASSEMBLEIAS
A direção do Sindicato adiou as assembleias que estavam programadas para a segunda-feira (15) e transferiu para esta terça (16).

A preocupação foi preservar as condições democráticas e livres para que a vontade dos trabalhadores seja respeitada. Diante disso, além das assembleias nos locais de trabalho, foi elaborado um novo calendário possibilitando para aqueles trabalhadores que se sentem pressionados pela empresa possam comparecer e votar com tranquilidade na assembleia na sede do Sindicato. Confira alguns locais e horários:

  • Sede: 09h
  • Call Center: 12h e 17h30
  • Atibaia: 17h
  • Itapeva: 17h: 17h30
  • Sede do Sindicato (Campinas): 17h30.
  Categorias: