CS 2013: trabalhadores decidem sobre nova proposta da Quatiara

01 agosto 17:23 2013 Lílian Parise, com informações da SG

Na última terça-feira (30), a direção do Grupo Enel apresentou ao Sinergia CUT uma nova “proposta final” para o pessoal da Quatiara.  Vale lembrar que a última proposta foi rejeitada pelos trabalhadores em assembleias e o Sindicato reivindicou a reabertura de negociação.  A empresa solicitou então que o Sindicato informasse quais os problemas com a proposta, o que foi feito através de correspondência.

Em resposta, o Grupo Enel encaminhou, também por escrito, nova proposta final. Confira todos os itens:

1) Reajuste do ticket alimentação em 7,79%, passando para R$ 600 mensais, valor total arredondado pela empresa que ficou acima da inflação e da valorização salarial.

2) Reajuste do Piso Salarial de 6,57%, passando para R$ 1.085

3) Reposição das Cláusulas Econômicas:
     • Valorização Salarial = 7%
     • Auxílio Creche = 6,57%
     • Auxílio Filho Excepcional = 6,57%
     • Auxílio Bem estar – Sem reajuste (o valor de R$ 150,00 atende há todos os custos gastos para esse benefício).
     • Reembolso Quilometragem = 6,57%
     • Adicionais por atividade complementar = 6,57%

4) Participação nos Lucros: reajuste da Participação nos Lucros e Resultados em 10,53% passando para R$ 4.200, sem substituição do indicador de índice de geração. A revisão da meta do indicador do Ebitda já foi realizada conforme segunda proposta do Acordo Coletivo, enviada em 11/06/2013.

5) Adequações de Funções: ao longo deste ano o grupo EGP realizará adequações dos cargos, conforme Política Interna de Cargos e Salários que está sendo atualizada.

6) Contratação de Empregados para composição de escalas: o grupos EGP, entende que o quadro de empregados da empresa Quatiara Energia S/A., está completo para atendimento da NR-10 pois os empregados não possuem acesso a nenhuma área classificada nas suas operações normais (as operações são apenas em painéis para partir e parar máquinas), as manobras em subestação (no caso especifico desta usina com equipamentos desenergizados) são realizadas no máximo duas ou três vezes por ano durante as manutenções preventivas, sendo sempre realizado por dois operadores.

7)  Adicional de quilometragem: as empresas concederão um adicional de R$ 149 (cento e quarenta e nove reais), ao trabalhador que utilizar veículo próprio para se deslocar no trajeto casa/trabalho/casa, independentemente da quantidade de quilometragem por mês, quando a distância, a critério das Empresas, e/ou a falta de transporte público, justificarem o uso do veículo próprio.

8)  Transportes em casos especiais: as empresas colocarão a disposição dos seus empregados lotados em suas unidades de produção de difícil acesso e de acordo com suas viabilidades, uma vez por semana, em dia útil, ônibus destinado ao deslocamento desses empregados para a cidade central mais próxima.
     Parágrafo Único: Em se tratando de unidades de produção das Empresas situadas em localidades onde já exista o fornecimento do transporte público, as Empresas disponibilizarão o Vale Transporte nos parâmetros preceituados no caput da presente cláusula, para este deslocamento, porém em caso de deficiência comprovada do transporte público local no atendimento dos empregados para o deslocamento previsto no caput da cláusula, as Empresas poderão optar pelo pagamento do valor mensal de R$ 149,00 (cento e quarenta e nove reais) ao empregado que, eventualmente, utilizar veículo próprio para o deslocamento à cidade central mais próxima.
     Em locais onde comprovadamente a falta de transporte público justificar o uso do veículo próprio, as Empresas concederão pagamento mensal no valor fixo de R$ 149,00 (cento e quarenta e nove reais) aos seus empregados para deslocamento entre suas casas e local de trabalho, e também para os empregados que residem nas unidades operacionais (usinas) para que estes se desloquem eventualmente até às cidades mais próximas para atender outras necessidades como compras, lazer, consultas médias etc.
     Em se tratando de unidades de produção das Empresas situadas em localidades onde já exista o fornecimento do transporte público, as Empresas disponibilizarão o Vale Transporte nos parâmetros da lei.

Assembleias deliberativas
A avaliação do Sinergia CUT é que a proposta é o limite da negociação. “Apesar de as metas da PLR estarem, de certa forma, comprometidas, e considerando que é a proposta final, a coordenação do Sindicato deliberou por encaminhar a mesma para aprovação, para evitar maiores prejuízos aos trabalhadores”, afirmam os dirigentes.

As assembleias acontecem no próximo dia 9, sexta-feira da semana que vem. Participe!

  Categorias: